Disputa de futebol fora de campo: batalha brasileira por patentes de aerossóis – Newsletters

Introdução
Disputas
Argumentos do inventor
Argumentos da FIFA
Decisão
Comentário

Introdução

Nos últimos anos, uma disputa de patente persistiu no Brasil sobre um spray usado em partidas de futebol. O spray é usado para marcar a distância entre os defensores e a bola ao executar um tiro livre. Quando foi introduzido, foi considerado um divisor de águas porque:

  • ajudou os jogadores a cumprir a regra da distância;
  • autoridade reforçada dos árbitros; Y
  • reduziu o tempo necessário para a cobrança de falta após uma falta, o que tornou as partidas mais dinâmicas.

O inventor do spray é brasileiro. Fundou uma empresa para explorar e comercializar os produtos derivados de suas patentes, que abrangiam a composição do spray no Brasil e em muitos outros países.

No final de outubro de 2020, a patente do aerossol expirou no Brasil. No entanto, as disputas sobre o aerossol continuaram.

Disputas

Houve duas ações judiciais sobre este assunto:

  • uma ação por infração intentada pela empresa do inventor contra a Federação Internacional de Futebol Associado (FIFA); Y
  • ação de anulação interposta pela FIFA para contestar a validade da patente.

A propositura de uma ação de anulação é uma estratégia comum adotada pelos réus em ações de infração.

Um terceiro no Brasil também requereu a nulidade administrativa da patente. No entanto, em 2016, o INPI manteve a patente, alegando que os argumentos apresentados contra ela eram insuficientes para invalidar os requisitos de patenteabilidade.

Argumentos do inventor

Perante o Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, o inventor alegou que a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) havia aprovado sua invenção em 2002 e que o uso de spray havia se tornado obrigatório em todas as partidas de futebol organizadas pela CBF. O spray também foi testado em vários campeonatos de futebol na América Latina.

O inventor afirmou ainda que tentou negociar o uso e venda da patente com a FIFA, mas que as negociações não foram bem-sucedidas, apesar dos inúmeros testes realizados em diferentes campeonatos. No entanto, o inventor alegou que durante o processo de negociação, ficou sabendo que um terceiro vinha copiando sua invenção desde 2009, supostamente com o aval da FIFA.

Argumentos da FIFA

A FIFA declarou que as alegações do inventor eram infundadas e que ele havia tentado forçar a venda das patentes. Além disso, o inventor não havia desenvolvido técnica e comercialmente seu produto, o que fez com que o aerossol fosse superado por outros aerossóis inovadores produzidos por terceiros.

A FIFA também afirmou que os detentores de patentes em vários outros países criaram aerossóis que eram mais atraentes para os consumidores devido a vários atributos, incluindo:

  • uma composição menos gordurosa;
  • melhor visibilidade em campo;
  • um desaparecimento mais rápido; Y
  • uma composição mais ecologicamente correta.

Não houve indicação de que esses produtos infringiam a patente do inventor.

Decisão

Em junho de 2020, um juiz de primeira instância rejeitou as alegações do inventor na ação de infração, alegando que o inventor não conseguiu provar que os produtos usados ​​pela FIFA correspondiam a cópias violadas de seus produtos ou que qualquer dano havia sido causado.

O inventor recorreu desta decisão aos tribunais superiores, mas o recurso ainda está pendente de exame.

A ação anulatória aguarda a conclusão da prova pericial, em particular no que diz respeito à inventividade do produto e se a patente concedida pelo INPI atende de forma suficiente ao requisito de divulgação.

Comentário

Antes dessa disputa, o spray vinha sendo usado em todas as partidas oficiais no Brasil desde 2002. No entanto, os torcedores já devem ter observado os efeitos da disputa, pois os árbitros não podiam usar o spray em nenhuma partida oficial. Em 2020, incluindo o Jogos do Campeonato Brasileiro de Futebol que começaram em agosto de 2020.

Dada a amplitude da disputa judicial, é provável que o próximo campeão mundial de futebol seja conhecido muito antes do vencedor da ação. Os fãs de futebol e patentes devem estar atentos para manter o controle de ambas as batalhas.

Para obter mais informações sobre este assunto, entre em contato Pablo Torquato ou Mônica Gurvitz em Montaury Pimenta, Machado & Vieira de Mello pelo telefone (+55 21 2524 0510) ou e-mail ([email protected] ou [email protected]). O site de Montaury Pimenta, Machado e Vieira de Mello pode ser acessado em www.montaury.com.br.

Os materiais contidos neste site são apenas para fins de informação geral e estão sujeitos ao aviso de isenção de responsabilidade.

A OIT é um serviço premium de atualização jurídica online para empresas e escritórios de advocacia líderes em todo o mundo. Consultores corporativos internos e outros usuários de serviços jurídicos, bem como sócios de escritórios de advocacia, se qualificam para uma assinatura gratuita.

You May Also Like

About the Author: Ivete Machado

"Introvertido. Leitor. Pensador. Entusiasta do álcool. Nerd de cerveja que gosta de hipster. Organizador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *