Eliminações antecipadas prejudicaram o orçamento de São Paulo em 2020

Foto: Divulgação

Não é apenas o lado esportivo paulista que foi afetado pela eliminação na fase de grupos da Copa Libertadores. A diretoria previu no orçamento de 2020 que a equipe chegaria às oitavas de final do torneio. O prêmio concedido pela Conmebol aos classificados para esta etapa é de US $ 1,05 milhão (R ​​$ 5,9 milhões pelo preço atual).

O valor só pode ser recuperado se o São Paulo vencer a Copa Sul-Americana e, com isso, embolsar US $ 2 milhões (R $ 11,2 milhões) em prêmios. O vice-campeão, por exemplo, ganha “apenas” US $ 800 mil (R $ 4,5 milhões). Para entrar na Sul-americana, o São Paulo pode até empatar com a Binacional no dia 20, último dia do Grupo D.

O São Paulo já havia sofrido a queda inesperada no Campeonato Paulista. O orçamento previa que o time chegaria às semifinais, mas a eliminação do Mirassol ocorreu nas quartas de final e fez com que o clube deixasse de arrecadar pelo menos R $ 400 mil em prêmios da FPF. São Paulo terminou o Estado em sexto lugar e recebeu R $ 450 mil. O quarto colocado embolsou R $ 850 mil, enquanto o terceiro colocado ficou com R $ 1,08 milhão.

No ano passado, São Paulo sofreu o mesmo problema. A previsão de orçamento do clube para 2019 previa que o time chegasse às quartas de final da Copa do Brasil e da Libertadores. Na competição nacional, foi eliminado pelo Bahia nas oitavas de final. Em nível continental, eles caíram para Talleres na segunda fase preliminar. Naquela época, após as quedas, o diretor de futebol Raí admitiu em maio que era preciso mudar o planejamento para o resto da temporada.

Neste ano, o cenário é ainda pior, agravado pela nova pandemia de coronavírus. O São Paulo esperava arrecadar R $ 53 milhões na bilheteria, mas os jogos começaram a ser disputados sem público nos estádios. Com isso, o clube embolsou apenas R $ 6,3 milhões com os jogos com torcedores no Morumbi no primeiro semestre, variação negativa de R $ 46,7 milhões.

O relatório das atividades administrativas do clube no primeiro semestre de 2020 já alertava para o problema de falta de receita nas bilheterias. “A variação negativa se deve ao adiamento do início do campeonato. Acredita-se que mesmo após o início do campeonato não será possível realizar os jogos previstos para 2020, com a presença da torcida, o que impede a recuperação da receita esperada para o torneio. ano”. o documento diz.

O valor recebido pelas taxas de televisão também foi afetado pela pandemia. O clube esperava arrecadar R $ 95,7 milhões no primeiro semestre, mas faturou R $ 45,2 milhões. Com a volta dos campeonatos, o São Paulo e as demais seleções receberam mais uma vez os valores da televisão.

“As rendas com exposições e premiações, inicialmente previstas para o ano em curso, só podem ser contabilizadas quando da sua efetiva realização, o que não representa uma perda efetiva de receita, mas sim uma prorrogação no registro e recebimento dos direitos pelo regime de competência” explica o relatório.

O que não pode ser recuperado é o dinheiro fornecido com publicidade e patrocínio. A ideia do clube era receber R $ 21,2 milhões no primeiro semestre, mas embolsou R $ 10,7 milhões. O relatório atribui a variação negativa de R $ 10,4 milhões à greve do futebol. “Decorre da dificuldade de encontrar novos patrocinadores, reduzindo a colocação de marcas da empresa no uniforme oficial, cenários, programas de televisão, cartazes de campo. E exibição de jogos”.

A pandemia também foi a justificativa para a variação negativa de R $ 7,1 milhões na arrecadação de caixas e cadeiras, propagandas e aluguéis no Morumbi. O estádio seria, por exemplo, o palco do show da banda Metallica em abril. A previsão era receber R $ 17 milhões com o Morumbi no primeiro semestre, mas foram arrecadados R $ 9,9 milhões. No ano, a previsão era arrecadar R $ 25 milhões com o estádio, ou seja, serão R $ 17,9 milhões a menos.

No esporte, o São Paulo espera terminar o Campeonato Brasileiro em quarto lugar, prêmio de R $ 26,8 milhões oferecido pela CBF. Na Copa do Brasil, a previsão é chegar às quartas de final e, com isso, receber mais R $ 3,3 milhões. O São Paulo já garantiu R $ 2,6 milhões com a Copa do Brasil para entrar na oitava rodada.

Depois do déficit de R $ 156 milhões em 2019, São Paulo planeja fechar 2020 com um superávit de R $ 68 milhões. No entanto, é improvável que a meta seja afetada por todos os problemas que o clube enfrenta ao longo deste ano.

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa Esteves

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *