Eliminatórias da Copa do Mundo: Brasil e Argentina se voltam para jovens estrelas

Por David Mosse
Pesquisador de futebol da FOX Sports

Sul Americano Copa do Mundo a qualificação recomeça esta semana, menos as duas maiores estrelas da região.

Neymar ainda está se recuperando de uma lesão no tornozelo, e Lionel Messi só recentemente voltou de uma longa dispensa e foi deixado de fora pela Argentina – mas como o Brasil, A Albicete já garantiram seu lugar no Catar.

A ausência da dupla do PSG significa que outros comandarão os holofotes para uma mudança, e grande parte da atenção deve se concentrar em dois talentosos jovens de 21 anos que buscam reivindicar um papel de destaque na próxima Copa do Mundo.

Para o Brasil, todos os olhos estão voltados para Vinicius Junior. Depois de três anos de potencial, ele finalmente conseguiu juntar tudo no Real Madrid, em grande parte graças à orientação de Carlo Ancelotti. Seus 15 gols e oito assistências nesta temporada são evidências de um jogador aprendendo a aproveitar sua devastadora combinação de ritmo e habilidade.

O Brasil espera que Vinicius Junior possa mostrar a forma recente que mostrou pelo Real Madrid. (Foto de Edilzon Gamez/Getty Images)

Agora é uma questão de país se aproximar do clube, já que Vinicius foi titular em apenas dois jogos pelo Brasil. Esse número deve aumentar nos próximos dias, com os pentacampeões da Copa do Mundo prontos para jogar fora do Equador e em casa para o Paraguai.

A mudança de Neymar para uma posição mais central significa que o lugar da esquerda está em disputa, e Vinicius tem uma oportunidade de ouro para torná-lo permanentemente seu.

Igualmente intrigantes são as perspectivas futuras do argentino Julian Alvarez, que, ao contrário de Vinicius, resistiu à vontade de se mudar para a Europa ainda adolescente. Alvarez, que completa 22 anos no final deste mês, optou por aprimorar suas habilidades no River Plate sob a tutela de Marcelo Gallardo.

Essa decisão está valendo a pena, já que ele foi recentemente nomeado Jogador Sul-Americano do Ano, o mais jovem a receber o prêmio desde Neymar. O próximo passo é o estrelato global para um jogador que fez uma aparição como substituto na triunfante campanha da Copa América no verão passado.

Alvarez é mais um atacante de apoio que flutua entre as linhas e prefere correr para os zagueiros de posições mais profundas. Mas ele ganhou algumas comparações com Sergio Aguero, com quem Messi fez uma parceria tão letal no início de suas carreiras internacionais.

Julian Alvarez tem a chance de desempenhar um papel maior para a Argentina com Lionel Messi fora. (Foto de JUAN MABROMATA/AFP via Getty Images)

O jovem do River Plate espera brilhar nos próximos jogos da Argentina, fora do Chile e da Colômbia, e 2022 parece ser o ano em que ele finalmente fará a jornada no exterior, com relatos de uma transferência acordada para o Manchester City.

Tal mudança significaria ingressar no clube com o qual Aguero alcançou seu maior sucesso e jogar pelo técnico Pep Guardiola, que ajudou Messi em seu caminho para a imortalidade. O desenvolvimento de Alvarez nos próximos 10 meses pode ser um grande fator na busca de Messi pelo título da Copa do Mundo.

OUTRAS NOTÍCIAS E NOTAS

Chile em um ponto de alta pressão

O Chile enfrenta dúvidas sobre a decisão de agendar seu jogo em casa contra a Argentina na cidade de Calama, localizada no deserto do norte.

O pensamento é que a altitude afetará negativamente a Argentina e preparará os homens de Martin Lasarte para a próxima partida contra a Bolívia em La Paz. Mas as condições em Calama são igualmente inóspitas para os anfitriões, que estão desesperados por três pontos.

O maior problema para o Chile é a ausência de Arturo Vidal, que pegou uma suspensão de dois jogos por um incidente em novembro contra o Equador. Vidal foi expulso com uma chuteira na cara de Felix Torres, e a derrota por 2 a 0 naquele dia interrompeu todos os Os vermelhos impulso recente depois de terem vencido suas três partidas anteriores. Eles entram nesta janela fora dos pontos de qualificação.

O Uruguai pode acordar?

O Uruguai começou a vida sob o comando de Diego Alonso depois que o gerente de longa data Oscar Tabarez foi, sem surpresa, demitido no final do ano passado. A tarefa de Alonso é resgatar uma campanha que saiu completamente dos trilhos, com O azul claro definhando em sétimo lugar no início desta janela.

O Uruguai, que joga fora do Paraguai e em casa contra a Venezuela, conquistou apenas um ponto nas últimas cinco partidas de 2021.

O novo chefe tem grandes decisões a fazer envolvendo a velha guarda, incluindo se Luis Suárez e Edinson Cavani devem começar juntos no topo e se Diego Godin ainda merece um lugar na parte de trás. Também será interessante ver como ele utiliza o talentoso craque canhoto Facundo Torres, que acabou de garantir uma lucrativa transferência para o Orlando City da MLS.

A Colômbia pode encontrar sua pontuação?

A Colômbia ainda está de alguma forma agarrada a uma vaga de qualificação, apesar de não ter marcado nos últimos cinco jogos de 2021. A boa notícia é que eles sofreram apenas uma vez nesse período, mas o técnico Reinaldo Rueda está determinado a colocar seu ataque nos trilhos nos próximos jogos, em casa para o Peru e fora para a Argentina. Daí a presença mais uma vez de James Rodriguez.

A esperança é que Rodriguez e Juan Cuadrado possam prestar serviço ao eterno Radamel Falcao, enquanto Os cafeicultores também contam com fortes atuações de Luis Diaz. O jogador de 25 anos está fazendo uma temporada sensacional com o Porto, depois de emergir como uma das estrelas de destaque na Copa América anterior. Ele marcou o último gol da Colômbia nas eliminatórias, na vitória por 3 a 1 sobre o Chile em setembro.

A Bolívia tem uma grande chance

A última aparição da Bolívia na Copa do Mundo aconteceu nos Estados Unidos em 1994. Eles têm uma chance legítima de acabar com essa seca, graças a uma série de três vitórias nas últimas quatro partidas, o que os deixou a apenas dois pontos de uma vaga de qualificação entrando esta janela. Todas essas três vitórias vieram na altitude de La Paz, que é onde O verde continuam a fazer a maior parte de seus danos.

Mas a próxima visita à Venezuela se configura como um jogo fora de casa genuinamente vencível, dado La Vinotinto’s forma desastrosa ao longo desta campanha. A Bolívia também espera derrotar o Chile em casa na outra partida, principalmente se o craque Marcelo Moreno puder produzir o tipo de forma que atualmente o coloca no topo das tabelas de gols nas eliminatórias sul-americanas, com nove gols.

David Mosse é pesquisador de futebol e escritor da FOX Sports. Ele cobriu várias Copas do Mundo da FIFA e também atua como co-apresentador de Podcast do Estado da União de Alexi Lalas.


Obtenha mais da Copa do Mundo de Clubes da FIFA Siga seus favoritos para obter informações sobre jogos, notícias e muito mais.



You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.