Em dois dias, os beneficiários do Bolsa Família gastam R $ 1 milhão

JBr.

Lançados há apenas 48 horas, os recursos de subsídio de alimentos para beneficiários do cartão de material escolar para compras de alimentos já registraram um uso de mais de R $ 1 milhão. A medida foi adotada pelo governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, para compensar a falta de merenda escolar, uma vez que as aulas estão suspensas até 5 de abril.

O relatório divulgado nesta sexta-feira (20) pelo Banco de Brasília (BRB) mostra que já foram injetados R $ 1.073.545,74 na economia do Distrito Federal para a compra de alimentos, o que equivale a quase 16% do total. valor total liberado para o Bolsa Food, que é de R $ 6.728.428,80. A despesa familiar média é de R $ 36,03.

No total, 106 mil estudantes são beneficiados, o que corresponde a quase 70 mil famílias. São estudantes que já tinham direito ao Cartão de Material Escolar (CME), ou seja, aqueles devidamente cadastrados na rede pública e cujas famílias fazem parte do Programa Bolsa Família.

A grande maioria das despesas foi realizada em hipermercados, o que corresponde a 86,2% dos recursos utilizados até o momento. Os valores também foram utilizados em menor escala em indivíduos atacados (6,3%) e em menor escala em outros estabelecimentos.

Os saldos dos cartões podem ser visualizados no aplicativo BRB Card Prepaid. Para a compra de alimentos, o cartão pode ser usado em qualquer estabelecimento, como supermercados, mercados, mercados de bairro, restaurantes e padarias.

Apesar das medidas emergenciais de proteção à população adotadas pela GDF, como o fechamento do comércio em geral, estabelecimentos como supermercados e padarias mantêm suas portas abertas.

O sistema Bolsa Food funcionou normalmente nesta sexta-feira (20), sem registro de indisponibilidade, como os apresentados ontem (19), principalmente a lentidão momentânea, devido à implantação da sacola de alimentos, quando foi o primeiro dia de uso do cartão. .

Nem o BRB nem a Secretaria de Educação do Ombudsman registraram reclamações sobre a falta de crédito. Todos os usuários receberam normalmente. Também não há registro de dívidas indevidas.

Os beneficiários que tiverem perguntas, reclamações, reclamações, sugestões ou elogios podem entrar em contato com o Ombudsman em 162 ou no site.

Com informações da Agência Brasília

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *