Emirates lança a primeira sonda árabe em Marte – 10/07/2020

Alphabet doará mais de US $ 800 milhões para ações de combate ao Covid-19 - 27/03/2020

Dubai, 10 de julho de 2020 (AFP) – Os Emirados Árabes Unidos estabeleceram um programa de energia nuclear e enviaram um astronauta ao espaço. Agora, eles querem ingressar em outro clube de elite, lançando uma sonda chamada “Hope” para Marte.

Somente os Estados Unidos, a Índia, a antiga União Soviética e a Agência Espacial Européia colocaram com sucesso sondas em todo o planeta vermelho. A China também está se preparando para enviar um, além de um robô.

O estado federado, formado por sete emirados unificados em 1971 e conhecido por seus arranha-céus e ilhas artificiais em forma de palmeira, fará história para um país árabe.

A sonda “Al Amal”, “Hope” em inglês, será lançada a partir do centro espacial japonês em Tanegashima em 15 de julho e atingirá a órbita marciana em fevereiro.

O objetivo da missão é fornecer uma imagem completa da dinâmica meteorológica da atmosfera de Marte e promover avanços científicos.

É o primeiro passo de um projeto mais ambicioso: a construção de uma colônia humana em Marte nos próximos 100 anos.

– “Ponte para o futuro” – O mais famoso dos sete emirados, Dubai, contratou arquitetos para imaginar como seria essa colônia e recriá-la no deserto, sob o nome de “Cidade da Ciência”. O projeto custará cerca de 500 milhões de dirhams (mais de US $ 135 milhões).

Em setembro de 2019, Emir Hazza al Mansouri se tornou o primeiro cidadão árabe a permanecer na Estação Espacial Internacional (ISS), à qual se juntou a bordo de um foguete russo Soyuz.

“Nossos avós seguiram as estrelas enquanto caminhavam para a glória. Hoje, nossos filhos esperam que eles construam seu futuro”, disse terça-feira o governante de Dubai, o xeque Mohamed bin Rachid Al Maktum.

A jovem nação do Golfo, cuja influência se estende do Iêmen à Líbia, através do Chifre da África, se apresenta como um importante ator regional.

Já se tornou um centro financeiro e um destino turístico, apesar da desaceleração econômica nos últimos anos. É também o primeiro país árabe a ter um programa nuclear civil.

O país, e em particular Dubai, atrai milhões de jovens graduados de todo o mundo, principalmente do Oriente Médio e Norte da África.

A federação, criticada por alguns por sua intervenção no Iêmen, alega defender a tolerância e saudou a primeira visita de um papa à Península Arábica.

“Os Emirados Árabes Unidos entenderam que o espaço é muito importante para seu desenvolvimento e sustentabilidade. É uma ponte para o futuro”, disse à AFP Mohamed al Ahbabi, diretor geral da agência espacial do país.

– “Vetor de mudança” – Sarah al Amiri, 33 anos, ministra de Tecnologias Avançadas e vice-diretora do projeto, vê isso como “uma mensagem de esperança para a região, um exemplo do que é possível usar talentos da juventude e de certa forma” positivo “.

“Investimos em espaço há mais de 15 anos … e trata-se de colocar nosso talento a serviço do resto da região”, disse ele à AFP de Tóquio.

Após a missão em Marte, os Emirados anunciaram que estão abrindo portas para jovens de países árabes participarem de um programa espacial de três anos.

“Eles podem vir, ganhar experiência, ser vetores de mudança para toda a região. Não podemos dizer que essa região é instável e permanece passiva”, afirmou o ministro.

Em Dubai, o Centro Espacial Mohamed Bin Rashid (MBRSC) foi a ponta de lança do projeto, que envolveu cerca de 450 pessoas.

dm / sls / mh / aem / erl / mr

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *