Empolgado, Zeca oferece um objetivo à mãe: “Sei que ela está em um lugar melhor” | baía

O defesa Zeca está há mais de dois meses fora de campo, na maioria das vezes por problemas pessoais. Com a mãe doente, a jogadora se afastou das atividades na Bahia para acompanhar o tratamento. No início de outubro, Lucimara Neves Cracco faleceu aos 45 anos.

+ Veja mais novidades sobre a Bahia
+ Veja a tabela completa do Brasileirão

Nesta segunda-feira, Zeca disputou a primeira partida desde setembro. Contra o Coritiba, no Couto Pereira, ele entrou no segundo tempo, como reserva de Matheus Bahia, e teve papel fundamental na vitória tricolor. Dos pés das alas saiu o segundo gol da seleção baiana, em um centro que acabou no gol: 2 a 1 para o Tricolor.

Ao sair de campo, muito animado, Zeca homenageou a mãe, que faria 46 anos nesta terça-feira.

– Eu nem gosto de falar. Estou muito feliz pela oportunidade de atuar, de ajudar nosso grupo a conquistar os três pontos. Estou emocionado, perdi minha mãe. Foi difícil, muito difícil. Não gosto de falar, foi recente, ainda sinto no treino e na concentração. Esse objetivo era para ela e para toda a minha família, meus amigos. Eu sei que ele está em um lugar melhor, do lado de Deus. Eu sei que ela está me ajudando.

– Eu nem tenho palavras. Acho que diria que a amo, todos os jogos a chamavam para dizer como foi. Quando ele estava bem, ele ficava feliz; quando eu não fui, isso me motivou. Eu sei que um dia estarei do lado dele. Agora ela está cuidando de mim – acrescentou.

Gol da Bahia! Zeca recebe e cruza e a bola passa por todos e vai direto para o gol, aos 26 do 2º tempo

Zeca era uma das opções de Mano Menezes, que não tinha Juninho Capixaba, suspenso pelo terceiro amarelo. Na coletiva após o jogo, o treinador tricolor elogiou o momento vivido ao lado.

– Às vezes as pessoas não sabem muito sobre nossas vidas. Hoje foi um dia muito especial para o Zeca. Seria o aniversário de sua mãe, que faleceu recentemente. E, dentro de cada pessoa, você nunca sabe como será a reação emocional. Quando ele marcou o gol, ele começou a chorar. Todos eles o abraçaram, porque ele sabia o que isso significava para ele hoje. Então, o futebol é feito dessas coisas. Muitas vezes as pessoas não sabem disso. Não vamos terceirizar porque você não vai falar de assuntos privados, mas faz parte das escolhas que um técnico faz. Felizmente, tudo deu certo para nós no final.

O Bahía volta a jogar na próxima sexta-feira, às 20h (horário de Brasília). O rival será o Bragantino, no estádio Nabi Abi Chedid, em Bragança Paulista, pela 22ª rodada da Série A.

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa Esteves

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *