Enauta inicia perfuração de poços de produção no campo de Atlanta

A Enauta, empresa petrolífera brasileira, iniciou a perfuração do novo poço 7-ATL-5H-RJS no Campo de Atlanta, na Bacia de Santos, na costa do Brasil.

Segundo a Enauta, o novo poço custará US$ 75 milhões para perfurar e conectar ao FPSO no campo. A produção do poço deve começar no primeiro trimestre de 2023.

Início de fevereiro de 2022A Enauta assinou um contrato para a contratação do estrela alfa sonda semissubmersível para perfurar o quarto poço de produção em seu campo de Atlanta. Mais tarde, no mesmo mês, A Enauta exerceu a opção para a Alpha Star perfurar dois poços para o Atlanta Complete Development System.

“Para otimizar os investimentos com os contratos assinados em fevereiro de 2022, a empresa perfurará dois poços adicionais que serão conectados ao Sistema de Desenvolvimento Completo do Campo de Atlanta, previsto para meados de 2024”, disse a Enauta na quarta-feira.

O campo de Atlanta produz petróleo por meio do FPSO Petrojarl I, um sistema de produção inicial, e a Enauta está trabalhando para trazer outro FPSO, o chamado Full Development System, para o campo. Para isso, a Enauta assinou um contrato com o especialista em FPSO da Malásia, Yinson, em fevereiro.

Produção interrompida

No início desta semana, a Enauta disse que a produção do campo offshore de Atlanta, no Brasil, havia sido interrompida.

“A avaliação inicial é de que é um problema operacional na superfície. A produção atual do campo é de 7.500 bbl/d”, disse a Enauta.

A notícia chega menos de duas semanas após a Enauta informar a interrupção da produção do poço 7-ATL-3H-RJS no Campo de Atlanta, “por motivos operacionais”.

A empresa disse na época que “tal interrupção estava originalmente programada para janeiro de 2023, quando o poço seria substituído”.

Como lembrete, a Enauta disse em outubro que a campanha de perfuração de três novos poços começaria em meados de novembro. O primeiro poço 7-ATL-5H-RJS, cuja perfuração foi anunciada na quarta-feira, será conectado ao FPSO Petrojarl I no primeiro trimestre de 2023, substituindo o poço 7-ATL-3H-RJS, quando da produção com três poços será será retomado.

O novo poço aumentará a capacidade de produção do campo para mais de 20 mil barris de petróleo por dia, disse a Enauta.

“Além de aumentar a produção a partir de 2023, este poço permitirá maior estabilidade para a operação de Atlanta devido ao aumento da redundância do sistema de bombeamento de poços e maior flexibilidade operacional para o sistema de produção”, disse a Enauta em 26 de março.

Já o Poço 7-ATL-3H-RJS só retomará a produção quando o Sistema de Desenvolvimento Atlanta completo, que envolve um novo FPSO, for implementado.

Espera-se que o maior FPSO de desenvolvimento de campo completo, FPSO Atlanta, comece a produzir óleo do campo em meados de 2024.

O FPSO Atlanta está se tornando o Dubai Drydocks World, incluindo atualizações estruturais, reformas e atualizações de equipamentos. Terá capacidade de produção de 50.000 BPD, 12,4 MMscfd de gás e capacidade de armazenamento de 1.800.000 bbl.

A capacidade de armazenamento é dez vezes superior à do Petrojarl I, que tem capacidade de produção de 30 mil barris de petróleo por dia e capacidade de armazenamento de 180 mil.


You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.