Ex-ministro da Justiça brasileiro Anderson Torres é preso por conluio com manifestantes

A Polícia Federal do Brasil prendeu no sábado o ex-chefe de segurança pública do país sob acusações de conluio com manifestantes que eles invadiram o palácio presidencial, a Suprema Corte e o Congresso em 8 de janeiro.

Anderson Torres, responsável pela segurança da capital na época dos distúrbios, foi detido no aeroporto de Brasília, de acordo com uma declaração da polícia federal brasileira.

A polícia capturou Torres depois que o Supremo Tribunal do Brasil emitiu um mandado de prisão contra ele na semana passada, acusando-o de não atuar em seu papel de chefe de segurança.

A omissão foi amplamente comprovada pelo previsibilidade de comportamento de grupos criminosos e a falta de segurança que permitiu a invasão de prédios públicos”, disse o ministro Alexandre de Moraes, do STF, segundo a BBC.

O presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva disse que os responsáveis ​​pela proteção do palácio presidencial foram cúmplices ao permitir que manifestantes entrassem em prédios do governo, mas Torres, que era chefe de segurança do ex-presidente Jair Bolsonaro, insistiu que é inocente.

O 4º Batalhão de Polícia em Brasília onde Torres está detido após ser preso em 14 de janeiro de 2023.
Foto de SERGIO LIMA/AFP via Getty Images
Torres era o chefe de segurança do ex-presidente brasileiro Jair Bolsonaro.
Torres era o chefe de segurança do ex-presidente brasileiro Jair Bolsonaro.
Foto de EVARISTO SA/AFP via Getty Images

Torres foi demitido do cargo logo após a rebelião pelo governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha.

A polícia também encontrou um documento na casa de Torres que eles vincularam a uma tentativa de anular os resultados das eleições de outubro, mas Torres disse que o documento foi tirado do contexto.

Torres estava de férias na Flórida antes de sua prisão, mas voltou depois que o atual ministro da Justiça, Flavio Dino, disse que as autoridades dariam a Torres até segunda-feira para retornar ao Brasil ou seria extraditado.

Apoiadores de Bolsonaro invadem o Congresso Nacional em Brasília em 8 de janeiro de 2023.

Apoiadores de Bolsonaro invadem o Congresso Nacional em Brasília em 8 de janeiro de 2023.


Manifestantes em confronto com um policial militar do lado de fora do Palácio do Planalto.

Manifestantes em confronto com um policial militar do lado de fora do Palácio do Planalto.


Anúncio

Uma janela quebrada no Palácio do Planalto durante o motim.


Anúncio

A prisão ocorreu um dia após decisão do STF incluir Bolsonaro em sua investigação sobre os distúrbios.

Os promotores disseram que Bolsonaro pode ter incitado os tumultos ao se recusar a admitir a derrota após a eleição e questionar abertamente a legitimidade da eleição.

“As figuras públicas que continuam a conspirar covardemente contra a democracia… serão responsabilizadas”, disse Moraes.

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *