FGTS: Projeto gera saque de juros e liberação de até 90% do saldo; VEJO

Dentro Câmara dos Deputados, a Bill (PL) 3718/20 propor a liberação da minuta no interesse do Fundo de garantia de antiguidade (FGTS). Nesse novo modelo, o correntista pode sacar até um salário mínimo, hoje no valor de R $ 1.045, a qualquer momento.

Além disso, outra mudança no texto diz respeito ao saque de aniversário. A proposta, elaborada pela bancada do PTB, quer permitir ao trabalhador sacar até 90% do saldo da conta do Fundo no mês de nascimento. Hoje, o percentual divulgado é baseado na tabela de alíquotas, que varia de 5% a 50%, mais uma parcela adicional, conforme o caso.

“Altera a Lei nº 8.036, de 11 de maio de 1990, e a Lei nº 13.932, de 11 de dezembro de 2019, para instituir as modalidades de aposentadoria-aniversário e retirada por juros do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) ”, diz o texto.

Novas regras para tratamento do FGTS

O novo projeto de lei define que as atuais regras de saque do FGTS devem permanecer em vigor até 2022. Assim, a partir de 2023, o trabalhador poderá sacar da conta, de acordo com as definições propostas Fundo Econômico Federal, instituição responsável pelos empréstimos.

A conta vinculada do trabalhador em FGTS pode ser movido nas seguintes situações:

  • Anualmente, no mês de aniversário do trabalhador, até o limite de 90% do saldo da conta na data de aniversário, observado o disposto no art. 20-D desta Lei;
  • A qualquer momento, quando seu saldo for menor ou igual a 1 (um) salário mínimo vigente.

O titular de contas vinculadas ao FGTS, conforme o texto, estará sujeito a apenas um dos seguintes sistemas de saque:

  • I – rescisão-rescisão; ou
  • II – retiro de aniversário; ou
  • III- retirada por juros

As regras para saques da conta do FGTS, por parte do titular da conta, expirarão a partir de 31 de dezembro de 2022. A partir de 1º de janeiro de 2023, o saque a título de juros da conta do FGTS ficará a critério do trabalhador e, portanto, pode ser realizada a qualquer momento.

A proposta que altera o acesso ao FGTS é do deputado Pedro Lucas Fernandes (PTB-MA) e de outros oito deputados partidários.

Ao justificar o projeto, os deputados declararam que o objetivo principal é garantir mais autonomia ao trabalhador para movimentar o saldo no Fundo. Tudo de forma a não comprometer a situação do FGTS.

Segundo os parlamentares, as atuais regras de disponibilização de recursos do Fundo representam uma ação indevida do Estado sobre o dinheiro do trabalhador, afirmando que o processo “prejudica a cidadania e a liberdade de escolha do indivíduo, como se ele não pudesse administrar sua Próprio dinheiro “.

Veja também: FGTS: São liberados 12 NOVOS depósitos de até R $ 1.045; olha quem recebe

You May Also Like

About the Author: Jonas Belluci Shinoda

"Viciado em Internet. Analista. Evangelista em bacon total. Estudante. Criador. Empreendedor. Leitor."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *