Filha do cantor Belchior é presa após confessar assassinato dentro de SP

A defesa diz que a acusada esfaqueou o homem depois que ele insistiu para que a sobrinha de sua esposa, uma menina, assistisse sexo

Isabela Menegheli Belchior, 26, apareceu espontaneamente nesta quinta-feira (13) e confessou ter participado de um homicídio em São Carlos, no interior de São Paulo, cometido no ano passado. No entanto, a defesa pediu liberdade provisória nesta sexta-feira (14) por não concordar com o tipo de crime atribuído à jovem, que é filha da cantora Belchior, falecida em 2017. Companheira de Isabela, Jaqueline Chaves, 31 anos Ele também cumpre prisão preventiva em Franca pelo crime.

A vítima é o metalúrgico Leixer Buchiwieser dos Santos, mas há versões diferentes do episódio. Segundo Veridiana Trevisan, advogada de defesa de Isabela, Jaqueline conheceu a vítima em um chat online em agosto de 2019 e recebeu R $ 500 por um programa. Santos teria oferecido uma quantia maior se Jaqueline estivesse acompanhada de uma criança ou de uma grávida. Após insistir na oferta, Santos afirmou que seria uma brincadeira. Por fim, os dois marcaram o encontro e, segundo a defesa, foram até a casa onde moravam Jaqueline e Isabela.

Lá, Santos teria insistido que a sobrinha de Isabela testemunhasse o ato sexual. Isso fez com que a filha de Belchior discordasse do pai e do tio do menino, que também morava na casa. Após os ataques, Isabela teria pegado a faca de cozinha e desferido o primeiro golpe. Os dois homens, diz o advogado, estão desaparecidos.

Ainda de acordo com a defesa, eles acharam que a vítima estava viva e levaram o homem, em seu próprio carro, para o campo. Em seguida, saíram de Santos perto da pista, foram para o outro lado da cidade e pediram a Jaqueline, que estava com a mãe do menino, que pegasse gasolina para colocar fogo no carro.

Veridiana diz que se trata de homicídio qualificado, com pena de 12 a 30 anos, e não conforme informado, por roubo, com pena de prisão de 20 a 30 anos. Isabela recebeu a pena máxima porque, segundo a investigação, foi utilizado um cartão de vítima para retirá-la após a sua morte.

“O que queremos deixar claro é que não houve extorsão e, na realidade, Isabela e os demais envolvidos queriam corrigir a vítima por envolvimento com menores, já que ele era um pedófilo frequente. Em nenhum momento colocaram o menor em risco, na propriedade ou em contato com a vítima ”, disse.

A defesa do parceiro de Jaqueline tem outra versão

A advogada de Jaqueline, Fabiana Carlino Luchesi, apresenta outra versão do episódio. Ela confirma apenas o início da conversa na sala virtual e que os dois réus ficaram “enojados” com a conversa da vítima sobre o envolvimento de uma menina ou mulher grávida em um ato sexual. Segundo ela, não houve extorsão. Afirma ainda que Jaqueline não faria mais o programa, mas ao passar em frente ao posto de gasolina onde seria agendado o encontro, junto com Isabela e sua sobrinha de três anos, teria visto o carro da vítima no posto e parado no local . para amaldiçoá-lo.

Depois disso, ela teria deixado Isabela em casa e ido lanchar com a sobrinha. Santos, porém, teria seguido o veículo e entrado em sua casa, onde teria brigado com os dois irmãos de Isabela e Jaqueline, no momento do crime. Jaqueline teria recebido um telefonema de Isabela pedindo gasolina e, só depois, soube dos acontecimentos.

Polícia vê brechas nas acusações dos réus

O delegado Gilberto De Aquino, da Delegacia de Investigações Gerais de São Carlos, responsável pelo caso, acredita que tudo teria dado outro rumo. “Eles deveriam ter relatado o fato (suposto pedido de busca de criança) à polícia e seria aberto inquérito com provas. Poderíamos ter descoberto outros crimes cometidos por ele. Assim, ele poderia estar na prisão ou em tratamento, porque pedofilia é uma doença ” “Aquino diz. Para a polícia, eles tiveram uma escolha e decidiram fazer algo ilegal.

Na versão policial, outro fator que não condiz com o relato dos advogados dos réus é o encontro com a vítima, que, segundo a delegada, ocorreu no posto de gasolina entre Isabela e o metalúrgico, quando ela foi tentar extorquir dinheiro dele para culpa dele. atos de pedofilia. Quando ele não alcançou nada, ele a teria seguido até sua casa, onde ele teria se envolvido na briga com os outros vizinhos.

You May Also Like

About the Author: Jonas Belluci Shinoda

"Viciado em Internet. Analista. Evangelista em bacon total. Estudante. Criador. Empreendedor. Leitor."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *