Final tem Lucão mascarado contra Covid e vitória no tie-break de Campinas sobre Taubaté | voleibol

Campinas deu o primeiro passo para conter a hegemonia de Taubaté no campeonato paulista de vôlei masculino. Em jogo de quase três horas e com direito a dois turnos na noite desta terça-feira no Ginásio do Taquaral, a equipe do técnico Horacio Dileo se antecipou à decisão ao vencer os atuais seis vezes campeões estaduais por 3 sets 2 (26 / 24, 22/25, 19/25, 25/20 e 23/21).

O título será definido na sexta-feira, quando as equipes se reencontram no Vale do Paraíba, às 21h30, com transmissão pelo SporTV2.. Campinas joga por uma “vitória simples” para conquistar o título inédito. Por outro lado, Taubaté precisa de vencer a partida para forçar o “set dourado” (desempate) se quiser erguer o troféu pela sétima vez consecutiva.

Os pontos finais do Campinas 3 x 2 Taubaté, pelo Campeonato Paulista de Vôlei Masculino

O oposto Leandro Vissotto, de Campinas, foi o grande nome do jogo, com 31 pontos e 70% de acerto no ataque. Além do vôlei de alto nível, a máscara que Lucão usou para se proteger da Covid-19 também chamou a atenção. Ele era o único jogador em quadra com o acessório.

De acordo com a assessoria de imprensa do Vôlei de Taubaté, o zagueiro central da Seleção Brasileira optou por usar a máscara desde o início dos treinos e jogos desta temporada, embora não seja obrigatória para quem está em quadra, para diminuir o risco de contaminação por ter um filho pequeno.

Lucão é o único que joga mascarado na final de vôlei paulista – Foto: Playback / SporTV

As equipes trocaram pontos e se alternaram no comando do placar até que Taubaté chegou a 18 a 16. A equipe do Vale do Paraíba também fez um set point, mas Campinas salvou, converteu na sequência para 25/24 e fechou o primeiro set no ataque . fora de Taubaté: 26/24.

O segundo conjunto também estava aqui e ali. Quando um time tentou abrir vantagem, o outro buscou igualdade. Isso até João Rafael aparecer com uma defesa com os pés que se transformou em um ataque de ponteira para deixar Taubaté confortável, no dia 23/30. O próprio João Rafael tentou igualar a partida ao fazer 25/22 em um acerto.

O roteiro do terceiro set estava desequilibrado. Taubaté saiu na frente desde o início e conseguiu fazer uma diferença considerável no saque de João Rafael, a partir do dia 14/09. A partir daí, só conseguiu vencer por 25/19.

Vissotto liderou Campinas na primeira final do Paulista – Foto: Pedro Teixeira / Voleibol Renata

Campinas queria dar uma boa resposta no próximo set e passou a fazer 7/3. Taubaté ainda tentou dificultar para ele, caiu para 15/14, mas os donos da casa não se intimidaram com a reação e abriram uma margem de segurança (19/15) até o fechamento em 25/20, ainda vivos na partida.

E o desempate entregou tudo o que se espera de um set decisivo: voltas e muita emoção. Vissotto de um lado e Lucão do outro sacou imediatamente. A troca de pontos foi constante até que Taubaté conseguiu desviar um pouco: 10/7.

A vantagem era assim até 13/10, quando Campinas parou e sobreviveu a um match point graças a um poderoso saque de Vaccari que dificultou a recepção de Taubaté e permitiu a Michel colocá-la no chão. Campinas continuou resistindo até se estabilizar: 17/16.

No dia 21/20 Vissotto teve a oportunidade de definir a vitória no contra-ataque, mas mandou. Porém, não desperdiçou a segunda chance e posteriormente tentou fechar em 23/21 para deixar Campinas com uma “simples” conquista de um título inédito.

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa Esteves

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *