FMI defende investimento público como saída para crise econômica do coronavírus

De acordo com o estudo Fiscal Monitor, publicado pelo FMI, aumentar o investimento público em 1% do PIB em países avançados e emergentes poderia “fortalecer a confiança na recuperação e impulsionar o PIB em 2,7%”. Os dados refletem o oposto do que o governo Bolsonaro faz


Assine o Boletim 247

247 – O Fundo Monetário Internacional (FMI) divulgou nesta segunda-feira (5) o novo estudo Fiscal Monitor, lembrando que os investimentos públicos em economias avançadas e emergentes podem gerar milhares de empregos e retomar o crescimento econômico, em meio à grave crise causada pela nova pandemia de coronavírus.

Segundo o FMI, aumentar o investimento público em 1% do Produto Interno Bruto (PIB) dos países poderia “fortalecer a confiança na recuperação e impulsionar o PIB em 2,7%, o investimento privado em 10% e emprego em 1% “. , 2% – se os investimentos forem de alta qualidade e se o peso da dívida pública e privada existente não enfraquecer a resposta do setor privado ao estímulo. ”

A pesquisa é o oposto do que faz o governo de Jair Bolsonaro, que deu continuidade ao ultraliberalismo de Michel Temer. A PEC do Teto dos Despesas, aprovada na gestão do emedebista, congelou os investimentos públicos por 20 anos. Agora, os atuais governantes jogam uma agenda apostando na iniciativa privada como solução para a crise, o que ainda não aconteceu. O país tem mais de 13 milhões de desempregados e com recessão esperada para 5% este ano.

De acordo com estimativas do estudo, publicado em Jornal ou globo, o investimento público pode gerar diretamente entre dois e oito empregos para cada milhão de dólares investidos em infraestrutura tradicional. Também pode gerar entre cinco e 14 empregos para cada milhão de dólares em pesquisa e desenvolvimento, eletricidade verde e sustentável e edifícios eficientes.

A instituição disse que o momento de juros baixos no mundo também indica que é hora de investir. “A poupança é abundante, o setor privado está parado e muitas pessoas estão desempregadas e podem aceitar empregos criados por meio de investimentos públicos”, diz o documento.

O setor privado reduziu os investimentos devido às incertezas decorrentes do futuro da pandemia do coronavírus. “Assim, em muitos países, o momento de fazer investimentos públicos de qualidade é agora, em projetos prioritários. Isso pode ser feito por meio de empréstimos de baixo custo ”, acrescenta o FMI.

Segundo o fundo, a comunidade internacional deve ajudar economicamente os países mais pobres. “A ajuda oficial está disponível, mas os US $ 10 bilhões alocados em 2018 ficam aquém do investimento de US $ 25 bilhões necessário anualmente nas economias de baixa renda, de acordo com estimativas da equipe do FMI”, diz o documento.

You May Also Like

About the Author: Edson Moreira Bezerra

"Zombieaholic. Amadores de comida amadora. Estudioso de cerveja. Especialista em extremo twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *