Gave Tilt # 8: agora é a hora da diversidade para ajudar a salvar empresas – 27/04/2020

Crispr pode curar doenças graves e até aumentar o pênis, mas há um dilema ético 28/03/2020

Como visões plurais e o acesso e inclusão de grupos anteriormente distantes da tecnologia podem trazer novas experiências aos usuários e ajudar no desenvolvimento e desempenho das empresas? Algoritmos podem ser racistas? É hora de mulheres e negros nesse mercado? Para responder a essas e outras perguntas, convidamos Silvana Bahia, diretora da Olabi, organização social que trabalha com tecnologia e diversidade para o oitavo episódio do podcast de ciência e tecnologia “Deu Tilt” (ouça o programa anterior).

Nele, o colunista Ricardo Cavallini, Cava, conversa com a Bahia sobre o cenário tecnológico e oferece formas práticas de reduzir a desigualdade nessa área. No início da discussão, ele apontou que o machismo também está relacionado ao número ainda baixo de mulheres que ocupam cargos nesse setor. (ouça a partir das 3:40 da manhã).

“Isso também está diretamente relacionado a uma questão de acesso e oportunidade, certo? Porque quando crescemos em um contexto em que as mulheres não são boas em certos assuntos, nem sequer experimentamos esses assuntos. Então, é como quando somos crianças e temos bonecas, panelinhas e crianças pegam Lego, montam e desmontam brinquedos, uma ferramenta “, disse ele.

Cava pediu à Bahia que explicasse a importância das empresas se preocuparem com a diversidade de sua equipe de funcionários e abriu um espaço para que eles obtivessem resultados que possam ser sentidos nas finanças da empresa. (Ouça de 5:44).

“Quanto mais diversidade tivermos, mais lucros as empresas terão. Então, por que isso acontece? Por terem melhores serviços, produtos melhores, porque conseguem abarcar mais visões de mundo em seus serviços”, respondeu Silvana, que observou que esses resultados eles são confirmados por vários dados de pesquisa.

Cavallini forneceu dados do estudo ‘Diversidade como alavanca de desempenho‘liderada por McKinsey, uma consultoria de negócios americana. “Quando você tem uma diversidade de gênero na empresa, aumenta seus resultados, sua margem de lucro em 21%. E quando você tem uma diversidade étnica e cultural ainda mais ampla […] o aumento chega a 33% “, afirmou o colunista.

A pedido da Cava, a Bahia comentou de maneira prática o que o RH pode fazer pelas empresas, que, apesar de deixar claro que esse não é um processo rápido, forneceu algumas sugestões que podem ser aplicadas ao abrir um processo de seleção, por exemplo.

“Quando dizemos […] Para um trabalho de ‘inglês fluente’, às vezes, esse trabalho não precisa necessariamente de inglês fluente, mas um inglês intermediário ou inglês técnico faz o trabalho. Talvez você veja esses mecanismos, porque quando eles pensam em inglês, por exemplo, já excluem muitas pessoas no Brasil, porque muitas pessoas não falam inglês “, afirmou.

Silvana Bahia também é coordenadora do PretaLab, iniciativa que incentiva mulheres negras e indígenas em tecnologia e possui mestrado em cultura e territorialidade pela Universidade Federal Fluminense.

.

Os podcasts são programas de áudio que podem ser ouvidos a qualquer hora, em qualquer lugar – no seu computador, smartphone ou outro dispositivo conectado à Internet. Podcasts Twitter estão disponíveis em uol.com.br/podcasts e em todas as plataformas de distribuição. Você pode ouvir Deu inclinaçãopor exemplo em Spotifyno Podcasts da Appleno Deezer e em YouTube.

Projetos e estudos citados:

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa Esteves

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *