Gerhard Berger: McLaren está voltando ao clima de vitória

Gerhard Berger acredita que a McLaren tem a equipe certa, tanto motoristas quanto gerentes, para garantir que eles possam retornar a um “estado de espírito vencedor”.

O austríaco de 61 anos correu pela McLaren entre 1990 e 1992, ao lado de Ayrton Senna, entre suas duas passagens pela Ferrari e venceu três corridas pela construtora de Woking.

Isso foi na época em que a McLaren estava no topo da Fórmula 1 e nos primeiros dois anos de Berger com a equipe, eles venceram o Campeonato Mundial de Construtores.

Mas desde 2013, eles têm encontrado resultados muito mais difíceis de alcançar, terminando por duas vezes em nono na classificação das equipes, embora as coisas tenham melhorado significativamente nas últimas duas temporadas.

Quarto em 2019, Mclaren melhorou de volta ao terceiro lugar no ano passado e o próximo passo será conquistar sua primeira vitória em um grande prêmio desde Jenson Button na última corrida de 2012 no Brasil.

Tudo parece estar no lugar para que a equipe faça exatamente isso, talvez até mesmo nesta temporada, e Berger está impressionado com as pessoas que a McLaren instalou em sua busca para realizar suas ambições.

Destaque-se na multidão com produtos da McLaren por meio da Loja Oficial de Fórmula 1

“A McLaren perdeu por um tempo, mas agora você pode ver, passo a passo, que eles estão voltando”, disse Berger no Grande Prêmio da Austrália. Na via rápida podcast.

“Eles sofreram um pouco com o motor Renault, mas agora têm o motor Mercedes e alguns bons com Andreas Seidl. [team principal] em cima.

“Ele é um engenheiro alemão de primeira linha da geração jovem, o que é muito importante. Ele ainda está acumulando experiência corrida a corrida e tem um grande futuro pela frente.

“Eles estão bem estabelecidos, é apenas uma questão de tempo quando eles sentirem vontade de vencer novamente.”

No que diz respeito aos motoristas, Berger acredita que foi a decisão certa para Daniel Ricciardo ter deixado a Renault e ingressado no projeto McLaren.

O australiano terminou em sétimo na estreia pela equipe no Grande Prêmio do Bahrein, três posições atrás do colega Lando Norris.

“Acho que para Daniel foi exatamente a escolha certa”, acrescentou. “Esta equipa precisa de um jovem piloto, pois [Norris], muito forte como vimos no fim de semana, então acho que o Daniel tem que fazer um esforço.

“E por outro lado, um piloto experiente que já mostrou que também pode vencer corridas. Uma combinação perfeita.

“Além disso, Daniel sempre ri, ele é amigável, ele proporciona um bom ambiente que também será muito útil para a equipe.”

Siga-nos no Twitter @ Planet_F1 e como nosso página do Facebook

You May Also Like

About the Author: Ivete Machado

"Introvertido. Leitor. Pensador. Entusiasta do álcool. Nerd de cerveja que gosta de hipster. Organizador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *