Governo brasileiro implementa sistema de gestão remota de força de trabalho

Depois de economizar milhões de dólares ao permitir que os servidores públicos operem remotamente, o governo brasileiro desenvolveu um sistema que permite o planejamento, o monitoramento e o controle das obras realizadas neste formato.

Desenvolvido internamente, o sistema está agora disponível para agências do Ministério da Economia, no entanto, a intenção é que o sistema seja implementado de forma mais ampla em todo o governo. O lançamento do sistema segue o arcabouço do trabalho a distância publicado pelo governo brasileiro em outubro, que estabelece um guia básico, mas também permite que as organizações do Ministério desenvolvam seus próprios programas de gestão em relação ao trabalho a distância.

Além do Ministério da Economia, diversos outros órgãos do governo estão implementando outros sistemas de gestão remota do trabalho disponíveis no Portal do Software Público Brasileiro. O processo que tem ocorrido através de um esforço colaborativo visa o apoio mútuo entre as diferentes organizações do setor público que estão implementando os referidos sistemas, bem como a melhoria contínua dessas plataformas.

Para apoiar órgãos e órgãos governamentais que buscam evoluir na abordagem da gestão do trabalho remoto, a Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia criou um grupo com funcionários do governo, que atua como consultoria. A função do grupo é atuar como disseminador de boas práticas e dar suporte na implementação das ferramentas.

Em setembro, o governo brasileiro estimou uma economia de mais de um bilhão de reais (US $ 197 milhões) com trabalho remoto desde o início da pandemia. O quadro introduzido para o teletrabalho, que teve em consideração as experiências do sector privado, inclui a responsabilidade dos trabalhadores por despesas como a electricidade.

Cristiano Heckert, secretário da Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, disse na época que em um período pós-pandêmico, a adoção do trabalho remoto não pode impactar negativamente a qualidade da prestação dos serviços públicos. “O trabalho remoto tem que ser entendido como uma alternativa ao trabalho presencial, mas tem características que definimos como back-office, ou seja, pessoas que trabalham no atendimento à população por meio do órgão”, destacou.

“Essa seria a pessoa que faz o trabalho de análise interna, geralmente da mesa do escritório, para que o trabalho seja feito de casa, tem a capacidade de gerar o mesmo resultado, com alguma possibilidade de [financial] lucro, devido ao tempo que se economiza principalmente nas viagens ”, acrescentou o secretário.

You May Also Like

About the Author: Jonas Belluci

"Viciado em Internet. Analista. Evangelista em bacon total. Estudante. Criador. Empreendedor. Leitor."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *