Governo de SP estende horário de funcionamento dos estabelecimentos comerciais da fase amarela de quarentena das 6h às 8h | São Paulo

O governo de São Paulo anunciou nesta quarta-feira (19) que shopping centers, restaurantes, lojas de rua, escritórios, entre outras atividades comerciais, poderão estenda seu horário comercial de seis para oito horas em cidades que estão na fase amarela do Plano São Paulo. A mudança nas regras do plano será feita por decreto e entrará em vigor a partir da próxima sexta-feira (21).

O empresário pode optar pela jornada de trabalho contínua, 8 horas interrompidas ou fracionada. Atualmente, a operação é limitada a seis horas por dia. para a fase amarela do Plano São Paulo, que regulamenta a quarentena para conter o COVID-19 não foi.

Segundo o vice-governador do estado, Rodrigo García, mesmo com a autorização do estado, os prefeitos têm autonomia para aplicar a medida e decidir se e quando a mudança será adotada.

“Lembro que, mesmo com essa medida feita por decreto do governo do estado de São Paulo, os prefeitos têm autonomia para aplicar a medida e decidir se a mudança será adotada e quando deverá ser adotada em suas cidades”, disse Garcia.

Movimento intenso de pessoas no centro de Campinas, no interior de São Paulo, neste sábado, véspera do Dia dos Pais e primeiro dia da cidade na fase amarela do Plano São Paulo, para conter a disseminação do coronavírus (Covid-19 ) – Foto: Luciano Claudino / Código 19 / Conteúdo do Estadão

A secretária de Desenvolvimento Econômico do estado, Patrícia Ellen, admitiu que a mudança de horário se deve a reclamações de empresários.

“Além disso, como já mencionado, foi feita uma série de reclamações em relação à fase amarela, principalmente relacionadas à prorrogação do cronograma (…)”, disse Ellen.

Ele também reconheceu que o estado de SP permanece em um “platô” na curva de mortes causadas pela Covid-19 e pediu aos municípios que aderissem ao programa ativo de rastreamento de casos do governo estadual. O estado registrou 276 novas mortes por coronavírus em 24 horas nesta quarta-feira (19), são 27.591 desde o início da pandemia.

“Gostaria de enviar mais um lembrete para vocês saírem desse patamar no estado em termos de internações e óbitos. Precisamos praticar o trabalho de triagem, teste e isolamento de contatos. Hoje temos 189 municípios que aderiram a este programa com novas tecnologias ”, disse Ellen.

Governo autoriza nova ampliação da operação de shopping centers e shopping centers do estado

De acordo com Na última classificação do Plano São Paulo, 15 regiões do estado estão na fase amarela: Baixada Santista, município de São Paulo, Sub-região Leste da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP), Sub-região Sudeste da RMSP, Subregião da RMSP Sudoeste, Araraquara, Araçatuba, Ribeirão Preto, Piracicaba, Bauru, Marília, Sorocaba, São João da Boa Vista, Taubaté e Campinas.

Também nesta quarta-feira (19) está agendada reunião com associações de shoppings, restaurantes e bares da capital com o prefeito da cidade e o prefeito da cidade de São Paulo para assinar os termos da inauguração ampliada na cidade.

Venda de ingressos em bilheterias

O governo também passou a permitir a venda de ingressos em bilheteria para eventos culturais, sociais e empresariais. Antes, a venda deve ser feita com antecedência. Ainda é necessário vender com assentos agendados e horários pré-agendados. A ocupação deve ser limitada a 40% da capacidade máxima de assentos.

Além disso, o governo também anunciou mudanças nas regras para a fase de quarentena verde. A fase verde vem depois da fase amarela, na qual se encontra a maior parte do estado, e ainda não foi aplicada em nenhuma região.

De acordo com o novo regulamento, o atendimento presencial na fase verde só pode ocorrer até às 22h00. Antes não havia limite de horário para o horário noturno, apenas para o horário diário. A ocupação deve ser limitada a 60% da capacidade máxima de cada estabelecimento.

Baristas da Vila Madalena, em São Paulo, usam máscara durante a reabertura – Foto: Marcelo Brandt / G1

Os critérios subjacentes à classificação das regiões são:

  • ocupação do leito em Unidade de Terapia Intensiva (UTI);
  • leitos totais por 100 mil habitantes;
  • variação nas novas admissões em relação à semana anterior;
  • variação de novos casos confirmados em relação à semana anterior;
  • variação nas novas mortes confirmadas em comparação com a semana anterior.
  • Na fase verde, também são considerados óbitos e casos por 100 mil habitantes;

No dia 27 de julho, a administração estadual promoveu alterações no Plano SP que alteraram os critérios dos índices monitorados, como o percentual máximo de leitos de UTI ocupados permitidos nas fases amarela e verde. Veja mais no vídeo abaixo:

Principais mudanças nos critérios de classificação do Plano São Paulo:

  • A taxa de ocupação máxima do UCI para uma região que vai da fase laranja para a fase amarela passou de 70% para 75%.
  • A taxa de ocupação máxima do UCI para uma região passar da fase amarela para a fase verde passou de 60% para um percentual entre 70% e 75%.
  • As regiões não podem avançar ou retroceder de fase por ponto percentual, por isso a gestão desenvolveu uma margem de erro de 0,1 para os critérios de evolução da epidemia e de 2,5 para a capacidade do sistema de saúde.
  • Foram acrescentados os critérios de óbito e internação por 100.000 habitantes para que uma região passe da fase amarela para a fase verde.
  • As regiões devem passar 28 dias consecutivos na fase amarela antes de passar para a fase verde.

Esses critérios definem em qual das cinco fases de reabertura a região se encontra:

  • Fase 1 – Vermelho: Alerta Alto
  • Fase 2 – Laranja: Controle
  • Fase 3 – Amarelo: Flexibilidade
  • Fase 4 – Verde: Abertura parcial
  • Fase 5 – Azul: Normal controlado

Reabertura de setores da economia:

  • Fase vermelha: apenas serviços essenciais podem funcionar.
  • Fase laranja: também podem reabrir agentes imobiliários, concessionários, escritórios, lojas e centros comerciais, mas com restrições.
  • Fase amarela: Salões de beleza, bares, restaurantes, academias, parques e atividades culturais com público sentado também podem reabrir, mas com restrições.
  • Fase verde: Eventos, convenções e atividades culturais com público permanente também podem ser reabertos, o que pode acontecer novamente quando houver uma estabilidade de quatro semanas do estado de São Paulo na fase verde (4), também com restrições.

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa Esteves

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *