Horários de Buenos Aires | Membros do Mercosul evitam quebra de cúpula enquanto líderes expressam preocupações

A última cúpula presidencial do bloco comercial do Mercosul terminou em uma paz incômoda esta semana, quando os líderes da região reiteraram suas diferenças sobre como impulsionar o comércio, mas descongelaram os laços por tempo suficiente para evitar uma ruptura.

No entanto, houve alguns momentos estranhos durante o processo. O presidente Alberto Fernández fez um discurso inflamado durante sua participação no plenário em Montevidéu, acusando seu colega uruguaio, Luis Lacalle Pou, de tentar quebrar as regras do bloco fundado em 1991.

“Vocês me convidaram para ser honesto, eu serei”, começou o líder peronista, que também criticou duramente as condições estabelecidas no histórico mas parado acordo de livre comércio entre o bloco regional e a União Europeia (UE), que se arrasta há mais de Duas décadas.

Depois de citar o escritor Mario Benedetti, Fernández disse: “Uma das condições em uma sociedade é cumprir as regras. Quando você joga futebol, há regras e você deve respeitá-las. As regras do Mercosul dizem que esses acordos devem ter outro tratamento mecanismos.” . Quando alguém em uma sociedade quebra as regras, está quebrando as regras.”

Lacalle Pou reiterou suas intenções de fechar o acordo com a União Européia e continuar as negociações bilaterais para fechar acordos comerciais separados com a China e a Turquia e finalizar a entrada do Uruguai no Acordo de Cooperação Econômica Transpacífico (TPP).

Na semana passada, Argentina, Brasil e Paraguai emitiram um comunicado conjunto alertando que poderiam tomar possíveis medidas legais e comerciais contra o Uruguai por seu pedido de adesão ao tratado multinacional.

“Falamos bilateralmente com todos os países. Quero reiterar que é isso que move a política externa do Uruguai: a abertura ao mundo. Não se trata de ruptura, mas de resolução de tensões”, disse o presidente uruguaio a seus pares e seus ministros das Relações Exteriores.

“Não podemos esperar 25 anos para assinar um acordo. Não é sério nem crível, por isso pretendemos continuar ampliando as possibilidades do Mercosul”, acrescentou.

Fernández, que assumiu a presidência pro tempore do bloco na cúpula, pediu aos Estados membros que discutam as assimetrias nas economias de cada nação e reequilibrem o acordo com a Europa.

“Ninguém mais do que eu quer um acordo com a UE, mas que seja decente para o Mercosul… a verdade é que na Europa há países protecionistas que não querem que entrem nossa carne, nossos grãos e nossa comida”, disse o chefe de Estado reclamou.

Sobre este ponto, convidou a UE a “falar francamente” e a discutir um tratado mutuamente benéfico: “Uma parceria é uma situação ganha-ganha. Quando uma parte ganha e a outra perde numa parceria, é outra coisa.”

Lacalle Pou rejeitou as críticas ao sugerir que outros estados haviam violado as regras do bloco no passado. “Tenho certeza de que ninguém pegou um avião para vir ao nosso país procurar mais conflitos”, afirmou.

“Claro, se negociarmos em grupo é muito melhor”, disse. “O que não estamos preparados para fazer é ficar parados.”

O líder paraguaio Mario Abdo Benítez, o vice-presidente brasileiro Hamilton Mourão (em substituição a Jair Bolsonaro, que faltou à segunda cúpula consecutiva) e o chanceler boliviano Rogelio Mayta Mayta também participaram da cúpula.

Em tom mais conciliador, o paraguaio Abdo considerou positivo “compartilhar o processo de negociação com o bloco antes que ele termine”, como propôs Lacalle Pou.

Após a cerimônia de entrega, Fernández se acalmou e elogiou a garantia do presidente uruguaio de que seu país continuará como membro do Mercosul.

“Estou fazendo lição de casa. Acho que devemos rever as regras, ter uma margem de flexibilidade”, disse, referindo-se ao Tratado de Assunção, que estabelece que os países membros não podem fazer acordos sem o consenso dos demais países. . bloco político.

“Gosto mais de debater do que calda de carameloLacalle Pou brincou com Fernández entre risos, antes de prometer continuar as negociações na hora do almoço.

O Mercosul concluiu recentemente negociações sobre um acordo de livre comércio com Cingapura.

– TIMES/AFP/NA

Notícias relacionadas

You May Also Like

About the Author: Jonas Belluci

"Viciado em Internet. Analista. Evangelista em bacon total. Estudante. Criador. Empreendedor. Leitor."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.