Horta Osório proposto para Presidente do Conselho de Administração do Credit Suisse – Observador

António Horta Osório foi nomeado presidente não executivo do conselho de administração (presidente) do Credit Suisse, instituição financeira suíça que é um dos maiores bancos de investimento do mundo. A eleição acontecerá na assembleia geral do dia 30 de abril. Horta Osório, que é presidente do Lloyds, sucederá Urs Rohner, que deixará o cargo em 2021, após 12 anos de mandato.

O sucessor foi escolhido por uma comissão nomeada pelo conselho de administração que desenvolveu, segundo nota, um intenso processo seletivo com enfoque internacional, tendo avaliado um grande número de candidatos especialmente qualificados, chegando a propor o nome de Horta Osório que será o primeiro não suíço na administração da instituição com sede em Zurique.

O banqueiro português de 56 anos ainda é o CEO do grupo Lloyds Bank, o maior banco de retalho da Grã-Bretanha, mas já tinha anunciado a decisão de renunciar no próximo ano. Para já, e nos próximos cinco meses, o banqueiro irá concluir a implementação do plano estratégico apresentado em 2018 e irá garantir a transição da liderança para o seu sucessor de forma fluida e organizada, segundo informações já divulgadas pelo banco britânico.

Horta Osório desenvolveu toda a sua carreira na área financeira, tendo começado no Citigroup em Portugal. Mas foi no grupo Santander que assumiu a presidência do Santander Negócios em 1996. Foi também no grupo espanhol, do qual se tornou vice-presidente, que iniciou uma carreira internacional. Horta Osório liderou o Santander no Reino Unido quando foi contratado em março de 2011 para o Lloyds pelo Governo britânico, quando a instituição foi intervencionada pelo Estado devido à crise financeira. Sob sua liderança, o Lloyds se tornou um banco privado novamente em 2017.

O Conselho de Administração do Credit Suisse é responsável pela gestão geral, supervisão e controle do grupo bancário presente em 50 países. Os membros deste órgão, incluindo o presidente, estão sujeitos a eleição individual em assembleia geral por apenas um ano. No entanto, a sua reeleição é mesmo possível para promover o desenvolvimento de conhecimentos específicos do negócio e criar as condições para que este órgão desafie adequadamente a gestão, afirma ainda um comunicado.

No mesmo comunicado, o atual presidente do Credit Suisse tem a satisfação de propor um profissional reconhecido e comprovado para seu sucessor. “Estou convicto que, sujeito a eleições na próxima reunião, e graças ao seu impressionante historial de realizações, António Horta Osório dará um maior contributo para o sucesso futuro do banco como líder na gestão de fortunas e na banca de investimento.

Horta Osório é citado como tendo dito que está muito satisfeito por ter sido proposto para presidente do conselho de administração. “Este é um momento de grandes oportunidades para o grupo, para seus colaboradores, clientes e acionistas”.

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *