Imigrante brasileiro graduado em Worcester North High, futuro médico

WORCESTER – Nascida no Brasil e criada lá há 16 anos, Thais Da Silva Moura vive agora o sonho americano de terminar o ensino médio e cursar a faculdade, duas coisas que ela achava improváveis ​​há dois anos, quando se viu em um país estrangeiro., apenas sabendo algumas frases em inglês.

“Minha vida no Brasil foi ótima, mas eu só queria experimentar algo novo. Queria colocar meu sonho em prática ”, disse Da Silva Moura, que se formará com seus colegas da North High School na sexta-feira à noite no Polar Park.

Para um imigrante, a língua é difícil, os relacionamentos são difíceis e ter sucesso é ainda mais difícil.

Mas para Da Silva Moura, ela não só recebeu o Selo de Alfabetização Bilíngüe da cidade de Worcester, como também foi aceita no programa de pré-medicina da Faculdade de Farmácia e Ciências da Saúde de Massachusetts.

“Eu estava tipo, ‘Oh meu Deus! Eu fiz isso ‘”, disse Da Silva Moura.

Reproduzir

Thais Da Silva Moura sinaliza ‘Não se preocupe, seja feliz’

Thais Da Silva Moura sinaliza “Não se preocupe, seja feliz”

Telegram and Gazette

Ele enfrentou dificuldades ao longo de sua jornada, antes de emigrar para os Estados Unidos e após sua chegada.

Quando Da Silva Moura tinha 13 anos, foi-lhe diagnosticado diabetes. Ao dar a notícia, o médico olhou nos olhos dela e disse: “Você tem diabetes e vai depender de insulina pelo resto da vida”.

Seu médico foi direto, mas ela sentiu que faltava preocupação a ele. Isso a motivou a se tornar uma endocrinologista, alguém que se preocupa profundamente com seus pacientes.

“Não quero apenas ser médica, quero ser amiga dos meus pacientes”, disse ela.

Como recebedora do Selo de Alfabetização Bilíngüe, um prêmio concedido a estudantes da área que são proficientes em dois ou mais idiomas, ela começou a aprender inglês quando se mudou para os EUA com sua família em 2019.

Quando ele veio pela primeira vez para os EUA, ele disse que falar inglês foi um dos maiores medos que ele já enfrentou na vida.

“Queria soar perfeito e, do meu ponto de vista, quando vim para os Estados Unidos pela primeira vez, não podia cometer erros, por isso tudo foi difícil”, disse Da Silva Moura. “Mas comecei a entender que podia cometer erros. Está bem. Está bem. Com o erro, pude aprender mais. ”

A música é um dos elementos mais importantes que a ajudaram em sua vida, disse ela, seja para superar as barreiras linguísticas ou as pressões da vida.

Programas de TV e dever de casa também a ajudaram quando ela começou a aprender inglês.

“A música foi como me ajudar quando vim pela primeira vez para os Estados Unidos porque estava tentando encontrar uma maneira de aprender inglês e também preencher minhas coisas culturais”, disse ele. “Todos os dias, todos os momentos, ouvia alguma coisa em inglês. Meus programas de TV são sempre em inglês, minhas legendas estão sempre em inglês. “

Da Silva Moura estudou muito e lutou para se adaptar à sociedade americana.

Ao se esforçar para se sair bem, você se formará com um GPA de 4,10, um dos mais altos de sua classe. Ele também é membro da National Honor Society.

Da Silva Moura se junta a outros estudantes no comitê de serviço do NHS para desenvolver projetos que ajudem as comunidades da região. Por exemplo, disse ele, eles enviaram cartões postais para a equipe do UMass Memorial agradecendo por ajudar as pessoas em tempos difíceis.

Ela também foi voluntária no EcoTarium.

Depois de morar nos Estados Unidos por mais de dois anos, Da Silva Moura disse que ainda tem muita saudade de seu país natal. No início, Da Silva Moura não estava acostumado com as diferenças culturais entre o Brasil e a América.

“Sinto falta do meu país, de verdade, todos os dias”, disse ele.

Uma das coisas que ele mais sente falta em seu país é a comida. Ele disse que dois dos motivos pelos quais sua família decidiu se mudar para Worcester foram a grande população de brasileiros aqui e os restaurantes nativos.

Na próxima formatura na sexta-feira, ela tem uma música – “Don’t Worry, Be Happy” – sua favorita que ela gostaria de compartilhar com todos os formandos.

“Em toda vida temos alguns problemas”, diz a letra, “mas quando você se preocupa, você os duplica. Não se preocupe, seja feliz. ”Esse versículo ressoa não apenas na jornada de sua própria vida, ela acredita, mas também em outras pessoas.

You May Also Like

About the Author: Jonas Belluci

"Viciado em Internet. Analista. Evangelista em bacon total. Estudante. Criador. Empreendedor. Leitor."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *