Internet atinge 80% dos domicílios e cresce a televisão digital aberta, diz IBGE – 29/04/2020

Internet atinge 80% dos domicílios e cresce a televisão digital aberta, diz IBGE - 29/04/2020

Oito em cada dez lares no Brasil tinham acesso à Internet em 2018. A televisão digital aberta cresceu e os telefones celulares foram o principal dispositivo para acessar a web, de acordo com a continuação do Pnad (Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios), publicada nesta quarta-feira. feira (29) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Embora timidamente, a televisão perdeu espaço nos lares brasileiros. Mas está ganhando um novo uso. Segundo a pesquisa, o número de famílias, como antenas parabólicas e TV paga, diminuiu, mas as televisões são os dispositivos que mais crescem como forma de acessar a Internet.

O estudo do IBGE está dividido em duas partes. No primeiro, são apresentados dados sobre o uso da tecnologia nos domicílios brasileiros. No segundo, há informações sobre a população online do Brasil.

TV vs celular

Mesmo sendo o dispositivo eletrônico mais comum nos lares brasileiros, a televisão gradualmente tem dominado. Em 2017, eram 96,7% dos domicílios permanentes no país, mas no ano seguinte essa participação caiu para 96,4%. Em relação a 2016, a queda foi de 0,8 ponto percentual.

Nos agregados familiares com televisões, a presença de sinais digitais de televisão aberta aumentou de 79,8% para 86,6% do total de agregados familiares. Isso se deve ao aumento das televisões de tela fina, impressas em 74,3% dos domicílios com televisão no Brasil.

Por outro lado, a presença do serviço de televisão paga diminuiu de 32,9% para 31,8% do total. Um fato curioso é que 31,9% das casas ainda possuíam TVs de tubo.

A proporção de domicílios com telefones celulares permaneceu a mesma: 93,2% do total, entre 2017 e 2018.

Isso não significa que as casas abandonem a televisão e parem de comprar telefones celulares. À medida que a base de domicílios determinada pelo IBGE aumenta a cada pesquisa, o volume de domicílios com TV cresce, apesar de sua participação no total ter diminuído. Passou de 68 milhões para 69,1 milhões de um ano para o outro.

No caso dos telefones celulares, o percentual de domicílios com ele permaneceu o mesmo, mas o total aumentou. Em 2017, havia 65,6 milhões de domicílios com telefones celulares. Em 2018, aumentou para 66,8 milhões.

Brasil conectado

Segundo o IBGE, a Internet atingiu outros quatro milhões de domicílios no Brasil entre 2017 e 2018. Isso ocorre porque o volume de domicílios conectados correspondeu a 74,9% do total de domicílios em um ano e atingiu 79,1% do total em outro. Com isso, o salto passou de 52,7 milhões para 56,7 milhões de residências on-line.

Houve crescimento tanto nos domicílios atendidos pela Internet móvel (de 78,6% para 80,2%) quanto nos domicílios fixos (de 73,5% para 75,9%).

O avanço da conexão foi impulsionado pela inclusão digital em campo. Na área rural, o percentual de domicílios conectados passou de 41% para 49,2%. Na área urbana, a Internet começou a ser usada em 83,8% dos domicílios em 2018, contra 80,2% em 2017.

Em residências conectadas, o telefone celular é de longe o dispositivo mais utilizado para acessar a Internet. Essa é a realidade para 99,2% desses domicílios.

Só ele é mais crucial para isso no país do que nas cidades. Nas áreas rurais, 99,4% das famílias usam telefones móveis online. Nas áreas urbanas, esse percentual é de 99,2%.

A renda per capita das famílias conectadas (R $ 1.769) é quase o dobro da renda das famílias desconectadas (R $ 940), diz o IBGE. Nos quase 15 milhões de domicílios sem acesso à Internet, duas das cinco principais razões estão relacionadas à falta de recursos financeiros:

A receita também está relacionada aos tipos de dispositivos usados ​​para navegar na rede. A renda média das famílias conectadas a cada novo dispositivo é assim:

  • Móvel: R $ 1.765
  • Computador: R $ 2.569
  • TV: R $ 3.111
  • Tablet: 3.538

Pessoas conectadas

O IBGE também investigou o número de pessoas com acesso à internet. Em 2018, o Brasil adicionou 9,4 milhões de pessoas à sua população online, de acordo com a Pnad Contínua.

Em 2017, os brasileiros conectados totalizaram um contingente de 126,4 milhões de pessoas, equivalente a 69,8% dos 181,1 milhões de pessoas com mais de dez anos no país.

No ano seguinte, esse número aumentou para 135,8 milhões de pessoas, correspondendo a 74,7% da população em idade ativa.

Centro-Oeste e Sudeste são as regiões com a maior proporção de população conectada. O volume de usuários da Internet é de 81,5% dos residentes no primeiro e de 81,1% no segundo. Nos demais, esse percentual é de 78,2% no sul, 64,7% no norte e 64% no nordeste.

Entre os usuários da Internet, os telefones celulares não são apenas o dispositivo mais usado para acessar a Internet, mas também aumentam sua participação. Em 2017, 97% usaram o dispositivo para navegar. Em 2018, esse índice aumentou para 98,1%.

Enquanto isso, o computador e o tablet perdem o apelo entre os conectados. O primeiro dispositivo, usado por 56,6% em 2017, passou a ser utilizado por 50,7% em 2018. A proporção de fãs de tablets passou de 14,3% para 12% de um ano para o outro.

A televisão passou a ser vista por mais usuários da Internet como uma plataforma de acesso. Em 2018, 23,1% dos brasileiros conectados usavam o dispositivo; em 2017, esse grupo representava 16,3%.

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.