‘Isso me ensinou a ser mais grato’

Carol Nakamura aprendeu a valorizar as coisas simples da vida após a adoção de Wallace, de 9 anos. O menino vive no antigo lixão de Jardim Gramacho, no Rio de Janeiro, e vive com a atriz e seu noivo, Guilherme Leonel, desde o final do ano passado.

“Ele nos ensinou muito, especialmente para agradecer. Quando chegou em casa, ligou o chuveiro e perguntou: ‘Tia, esta água cai do céu?’. São coisas tão normais para nós passarmos. Ouvimos. Isso nos faz refletir que existem pessoas que nem sequer têm saneamento básico “, afirmou a atriz em entrevista à revista Quem.

Ele também discutiu o que aprendeu com o filho: “Tudo isso nos faz analisar o quanto temos e não somos gratos. Isso me fez entender a importância do simples, das pequenas coisas, de ser ouvido, visto. Ele me ensinou a ser mais grato e pare de reclamar da vida. Wallace mudou minha vida completamente. “

Enquanto aguardavam o processo de adoção, o casal obteve autorização para colocar a criança na escola pela primeira vez. Logo depois, eles tiveram que se adaptar para continuar aprendendo em casa.

“Eu tinha acabado de começar a escola. Antes disso, nunca fui a uma. Estava super empolgado e havia um problema de pandemia e ter que ficar em casa. Tivemos que reajustar. Estude manhã e tarde online e agora comecei tendo aulas presenciais com um compromisso três vezes por semana. Tivemos que aprender com o professor para lhe ensinar algumas coisas. Ao contrário de uma criança que já sabe ler e escrever, ele começou do zero. Em casa, não era comum, ele apenas forneceu o endereço. Você precisa ensinar o alfabeto primeiro. Foi um processo longo, mas graças a Deus está evoluindo bem “, disse ele.

Wallace recentemente teve um momento emocionante com um ídolo. “Hoje em dia, Ludmilla falou com ele e ele chorou. Eu estava tentando entender por que ele estava tão comovido. Percebi que Ludmilla era muito importante e famoso, ele viu que alguém naquele lugar o viu. Isso foi muito especial. Ele não o fez.” Já foi visto antes “, disse a mãe.

No mês passado, Guilherme expôs mensagens preconceituosas que recebeu nas mídias sociais sobre seu filho. Essa foi uma das principais preocupações de Nakamura quando o processo de adoção começou.

“Uma das coisas que mais me preocupava em Wallace era o preconceito. Pensei: ‘Vou ter que esconder Wallace para que as pessoas não falem bobagens sobre ele?’ Mas tomei a decisão de nunca fazer algo assim. Quero ser natural, normal e viver minha vida, enfrentando tudo o que tenho que enfrentar. Quando as pessoas começaram a conhecer Wallace, a aceitação foi muito grande e, graças a Deus, O carinho era enorme. Sempre há uma ou duas pessoas que falam bobagem, mas acho que são pessoas mal resolvidas com suas próprias vidas, pessoas com preconceitos que precisam de tratamento psicológico e aula “, afirmou.

You May Also Like

About the Author: Jonas Belluci Shinoda

"Viciado em Internet. Analista. Evangelista em bacon total. Estudante. Criador. Empreendedor. Leitor."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *