Itália e Brasil brilham na 7ª EVO-IOOC em Campi Flegrei

A cerimônia de premiação do 7º Concurso Internacional de Azeite EVO (EVO-IOOC) ocorreu na paisagem encantadora do Castelo Aragonês da Baía em Bacoli no mês passado.

Vários produtores de azeite de todo o mundo vieram ao coração de Campi Flegrei, a oeste de Nápoles, para assistir ao evento que encerrou a edição deste ano do concurso dirigido por Antonio G. Lauro.

O feedback dos nossos provadores experientes foi bastante unânime: nos últimos anos, a qualidade dos azeites melhorou em geral.– Antonio G. Lauro, Presidente, EVO-IOC

Não só aumenta o número de participantes, como também melhora a qualidade dos azeites virgem extra”, disse Lauro, presidente do concurso, antes de apresentar todos os finalistas e anunciar os vencedores dos principais prémios: melhor do país, melhor de sua classe e melhor internacional 2022 para os hemisférios norte e sul.

Um total de 516 prêmios foram entregues, incluindo medalhas de ouro e prata.

Veja também:Produtores toscanos triunfam no NYIOOC, superando as geadas tardias e o calor do verão

Na semana anterior ao evento, um painel internacional de 23 juízes avaliou 736 amostras, sendo 676 azeites extra-virgens e 60 azeites aromatizados, de 26 países.

A maioria das entradas vem da Itália, que respondeu por 25% do total. Foi seguido pela Grécia (16%), Turquia (15%), Espanha (9%) e Brasil (8%).

Alguns países participaram da EVO-IOOC este ano pela primeira vez”, disse a CEO Stefania Reggio. Temos que dizer que os produtores dessas áreas produtoras emergentes estão fazendo um ótimo trabalho em termos de qualidade.”

De acordo com os dados recolhidos pelos organizadores, mais de metade dos azeites virgem extra apresentados são monovarietais, enquanto os lotes representam 46 por cento do total.

Os azeites com Denominação de Origem Protegida (DOP) ou Indicação Geográfica Protegida (IGP) da União Europeia representam 15 por cento do total de apresentações, e pouco mais de 23 por cento são orgânicos certificados.

Alguns dos vencedores do EVO-IOOC

Avaliar tantos produtos excelentes não foi uma tarefa fácil”, disse Lauro. Os comentários dos nossos provadores experientes foram bastante unânimes: nos últimos anos, a qualidade dos azeites melhorou em geral.”

Acho que este é o sinal de que as competições internacionais elevaram cada vez mais a fasquia, contribuindo fortemente para impulsionar os produtores de todo o mundo em direção à excelência”, acrescentou.

Entre os principais vencedores estava o Superbo, uma mistura de azeitonas Itrana e Moraiolo produzidas no Lácio por Americo Quattrociocchi, que ganhou o melhor prêmio internacional para o Hemisfério Norte.

A propriedade brasileira, Azeite Milonga, ganhou para o hemisfério sul com seu monovarietal Arbequina.

Estou muito feliz com este reconhecimento”, disse o proprietário Christian Vogt durante o evento de premiação. Foi uma grande surpresa desde que nossa empresa foi fundada em 2019, e esta foi nossa primeira participação em uma competição.”

Ao receber o prêmio, ele relembrou seu primeiro encontro com Lauro, há alguns anos, no Curso de Sommelier Tempos de Azeite Nova Iorque.

Ele foi nosso professor, contei a ele sobre as dificuldades do solo brasileiro e nosso trabalho no bosque, e ele me contou: Vá em frente, o que você está fazendo está correto e dará ótimos resultados’”, disse Vogt. Essas palavras de encorajamento foram recebidas com este sucesso.”

A lista completa de vencedores pode ser encontrada em Site EVO-IOC. O guia em papel EVO-IOOC 2022/23 Edition será publicado em breve e estará disponível para compradores, consumidores e entusiastas de azeite extra virgem.


Série de vídeos Olive Oil Times

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.