Juntamente com Mandetta, Bolsonaro critica novamente o ‘alarmismo’

JBr.

Em uma reunião com os prefeitos da capital nesta manhã de domingo, 22, o presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar o que chama de “alarmismo” na crise do novo coronavírus. “Há muita divergência na maioria da mídia. Alguns dizem que estou indo contra a corrente. Estou no que acho que precisa ser feito. Posso estar errado, mas acho que deve ser tratado dessa maneira “, disse ele.

Bolsonaro fez as declarações junto com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que liderou as ações do governo federal para combater a pandemia. O presidente disse ainda que a situação da doença no Brasil não deve ser comparada à dos países europeus.

“Não podemos nos comparar com a Itália. Lá, o número de habitantes por quilômetro quadrado é 200. Na França, 230. No Brasil, 24. O clima é diferente. A população lá é extremamente grande. Esse clima não pode vir aqui porque causa certa agonia e causa um estado de grande preocupação. Uma pessoa estressada perde imunidade “, afirmou o presidente.

Bolsonaro deixou a reunião antes do final. Ele chegou à sede do Ministério da Saúde às 9:42 da manhã. e saiu do local às 11h26. Ao deixar a videoconferência, o presidente parabenizou os prefeitos por colocar “o interesse público acima de tudo”.

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.