Justiça proíbe escolas do Rio de servir almoços de estudantes

Escolas municipais do Rio, que abrem a partir das 11h. às 13h Para servir o almoço a estudantes carentes, eles começarão a fechar completamente a partir desta quarta-feira, pelo menos durante o mandato emitido pela Justiça na terça-feira. O Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (SEPE-RJ) protocolou a solicitação e obteve a liminar, que a Secretaria Municipal de Educação diz que recorrerá através da Procuradoria Geral da República.

A iniciativa de abrir escolas para o almoço foi anunciada na sexta-feira passada pelo prefeito Marcelo Crivella e pela secretária Talma Romero Suane.

Seria uma maneira de servir os alunos que dependem das unidades escolares para alimentação. Segundo a Secretaria, cerca de 1.500 estudantes se beneficiaram de refeições nos últimos dois dias.

O sindicato, justificando o pedido de fechamento total das escolas, enfatizou que conhece a necessidade desses alunos, mas afirmou que a abertura das unidades está colocando em risco estudantes e profissionais. Eles defendem medidas alternativas, como enviar comida para a casa dos estudantes.

“As alternativas foram usadas até na crise de saúde de 2009, causada pelo vírus H1N1 (mais conhecido como gripe suína), quando a prefeitura se esforçou para distribuir alimentos diretamente aos alunos mais carentes, sem a necessidade de abrir unidades e sem colocar os alunos em risco. profissionais “, afirma o SEPE.

A capital do Rio concentra 31 dos 33 casos registrados até ontem no Estado.

Status do conteúdo

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa Esteves

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *