Lucro do Itaú cai 40% no segundo trimestre, para R $ 4,2 bilhões

SÃO PAULO – O lucro líquido recorrente do Itaú Unibanco caiu 40,2% no segundo trimestre de 2020, em comparação com o mesmo período do ano passado, para R $ 4.205 bilhões. Comparado ao trimestre anterior, o lucro cresceu 7,5%. O resultado ficou em linha com as projeções de analistas compiladas pela Bloomberg de R $ 4.255 bilhões.

O ROE (retorno do capital – um indicador que mede como os bancos investem os recursos de seus acionistas) caiu dez pontos percentuais de um ano para o outro, terminando o segundo trimestre de 2020 em 13,5%. No final de março, porém, era de 12,8%.

A margem financeira diminuiu 3,66% no segundo trimestre no mesmo período de 2019, após rentabilidade. A margem financeira gerencial, que considera as operações com clientes e mercado (tesouraria), foi de R $ 17.776 bilhões, ante R $ 18.451 bilhões entre abril e junho do ano passado. O resultado ficou em linha com o valor observado nos três primeiros meses deste ano.

A receita de serviços do banco, por outro lado, diminuiu na comparação anual, de R $ 9.063 bilhões para R $ 8.396 bilhões, 7,4% menor. “As receitas de serviços diminuíram devido ao impacto de menos atividade econômica nas receitas de cartões (emissor e adquirente), menos atividade no mercado de capitais sobre as receitas de consultoria econômica, corretagem e fundos”, explicou o banco.

Empréstimos e inadimplências

O banco aumentou consideravelmente suas provisões para perdas com inadimplência, que aumentaram 71,6% na comparação anual, atingindo R $ 7,561 bilhões. No entanto, o valor é inferior aos R $ 10.398 bilhões reportados no trimestre anterior.

“Em meio ao cenário econômico adverso da pandemia de Covid-19, notamos alguns sinais de melhora durante o segundo trimestre. Por esse motivo, nosso modelo de provisionamento, atualizado devido às condições macroeconômicas, gerou provisões mais baixas neste trimestre do que no trimestre anterior, quando a crise começou “, afirmou o banco.

Na comparação trimestral, o custo do crédito do Itaú diminuiu 23% entre abril e junho deste ano, atingindo R $ 7,8 bilhões. No entanto, em relação ao segundo trimestre de 2019, houve um aumento significativo de 92,1% nesse indicador.

Apesar de expandir suas provisões para inadimplência, o maior banco privado do país sofreu uma queda de 90 dias na inadimplência, de 2,9% no segundo trimestre de 2019 para 2,7% no mesmo período deste ano. Em março, o indicador era de 3,1%.

A carteira total de crédito do banco aumentou 2,9% na comparação trimestral e 20,3% na comparação anual, totalizando R $ 811,3 bilhões.

A carteira individual diminuiu 3,8% em relação ao trimestre anterior, principalmente devido à menor carteira de cartões de crédito. Em 12 meses, o crescimento foi de 2,9%, com destaque para o crescimento de empréstimos pessoais, veículos e empréstimos imobiliários.

O portfólio corporativo cresceu 3,4% em relação ao trimestre anterior, principalmente em produtos como capital de giro e empréstimos hipotecários. Em 12 meses, o crescimento foi de 29,2%, com movimentos significativos de capital de giro, veículos e financiamento de importação / exportação, informou o banco.

Lucros

Juntamente com o resultado, o maior banco privado do país também informou que seu conselho de administração aprovou hoje o pagamento, em 26 de agosto, de ganhos aos acionistas, com base no cálculo da posição final de participação registrada em 17 de agosto. este mês.

Os juros sobre capital próprio serão pagos no valor de R $ 0,0529 por ação, com um imposto retido na fonte de 15%, resultando em um interesse líquido de R $ 0,044965 por ação.

Aprenda a realizar operações com potencial de lucro de R $ 50 a R $ 500, operando apenas 10 minutos por dia: inscreva-se na semana dos vencedores grátis

You May Also Like

About the Author: Jonas Belluci Shinoda

"Viciado em Internet. Analista. Evangelista em bacon total. Estudante. Criador. Empreendedor. Leitor."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *