Lula lidera Bolsonaro enquanto eleições no Brasil esquentam

A campanha eleitoral do Brasil começou oficialmente nesta semana, com pesquisas mostrando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva liderando Jair Bolsonaro em seu confronto titânico de ideologias e personalidades.

Conduzindo a notícia: Uma nova pesquisa do Datafolha publicada na noite de quinta-feira mostra que Lula subiu entre 47% e 32%. Quatro outras pesquisas recentes mostraram que ele liderava entre 7 e 12 pontos.

O panorama: Gustavo Ribeiro, editor do Brazilian Report, diz ao Axios que esta é a eleição “mais chata e tensa” que ele já cobriu.

  • Entediado, porque Lula teve uma vantagem constante antes da votação de 2 de outubro.
  • Tempo, por causa da intensa antipatia entre os candidatos e seus apoiadores, e porque Bolsonaro afirmou repetidamente que a eleição será fraudada e ameaçou rejeitar os resultados.

“Eu realmente ficaria surpreso se ele não tentar fazer um truque como 6 de janeiro”, possivelmente antes das eleições, diz Ribeiro.

  • A data-chave a ser observada é 7 de setembro, o 200º aniversário da independência do Brasil, quando Bolsonaro convocou seus apoiadores a saírem às ruas.
  • Cena retrospectiva: O líder de extrema-direita declarou em um comício semelhante no ano passado que somente Deus poderia removê-lo do poder. A manifestação fracassou antes que alguns partidários fervorosos avançassem com os planos de invadir a Suprema Corte.

O que eles estão dizendo: Durante o lançamento da campanha na terça-feira na cidade do sudeste onde foi esfaqueado em 2018, Bolsonaro, cuja base é majoritariamente composta por evangélicos, proclamou que “o criador salvou minha vida para que eu pudesse fazer o melhor por nossa nação”. .

  • No evento de lançamento de Lula, realizado na cidade industrial onde iniciou sua carreira como líder sindical na década de 1970, Lula comentou que Bolsonaro pode estar “possuído pelo diabo”.
  • Lula foi impedido de concorrer contra Bolsonaro em 2018 devido a uma condenação por corrupção, que mais tarde foi anulada. “Estou voltando para que possamos recuperar nosso país”, declarou.

Lula viu uma redução drástica na pobreza durante um mandato presidencial (2003-2011) que coincidiu com um boom de commodities.

  • Após uma década de turbulência para a economia brasileira e para o Partido dos Trabalhadores (PT), de esquerda, o discurso de Lula é que os bons tempos voltarão.

  • Sim, mas: “As contas públicas estão esgotadas, os índices de pobreza estão subindo. É um cenário bastante desagradável para a economia”, diz Ribeiro, e Lula está “tentando evitar detalhes sobre sua agenda econômica”.

Bolsonaro, por sua vez, está dramaticamente aumentar os gastos sociais em um aparente último esforço para conquistar eleitores de baixa renda.

  • Mauricio Moura, pesquisador e fundador do IDEIA Big Data, espera que isso diminua a diferença à medida que os eleitores indecisos restantes se decidirem.
  • “Esta é uma eleição de rejeição, de um lado do governo, de outro do PT e do próprio Lula”, diz Moura. Há mais eleitores que rejeitam Lula, mas ainda não apoiam Bolsonaro do que vice-versa, diz ele.

A linha inferior: A impopularidade de Bolsonaro torna esta “uma eleição muito difícil” para ele vencer, diz Moura, mas ele espera uma disputa acirrada.

  • Dadas as acusações de manipulação de votos de Bolsonaro e a intensa polarização no Brasil, um resultado próximo geraria momentos de tensão, de fato.
  • Se nenhum dos candidatos obtiver a maioria, haverá um segundo turno em 30 de outubro.

You May Also Like

About the Author: Jonas Belluci

"Viciado em Internet. Analista. Evangelista em bacon total. Estudante. Criador. Empreendedor. Leitor."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.