Madrid retoma confinamento contra Covid-19 | Mundo

Madrid tornou-se a primeira capital europeia a restabelecer um bloqueio – confinamento estrito – às 22h (horário local; 17h, horário de Brasília) desta sexta-feira (2), informou a agência de notícias Reuters. O novo bloqueio terá duração mínima de 14 dias, podendo ser estendido se necessário.

Os cerca de 4,8 milhões de habitantes da capital do Espanha e nove cidades-satélites serão impedidas de sair da região, exceto em viagens essenciais, devido ao ressurgimento da Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2)

O governo conservador da cidade de Madrid obedeceu com relutância à ordem do governo federal socialista de proibir viagens, exceto para estudos, trabalho, assistência médica e compras. A decisão estende um confinamento já existente nas áreas mais pobres da cidade, com altos índices de contágio.

Os restaurantes e bares fecharão mais cedo, às 23h em vez da 1h, conforme a regra anterior, e reduzirão a lotação pela metade, assim como as academias e lojas. Madrid voltou a ser a pior fonte de contágio da Europa.

A foto mostra uma mulher sentada em meio a bandeiras espanholas colocadas em um parque em Madri para homenagear as vítimas do Covid-19, em 27 de setembro. Uma associação de famílias que perderam pessoas para o coronavírus disse que colocou 53.000 pequenas bandeiras em homenagem às vítimas. – Foto: Manu Fernandez / AP

As restrições não são tão rígidas quanto as do fechamento de março anterior, quando as pessoas eram proibidas de sair de casa. Reuniões de mais de seis pessoas ainda são proibidas em ambientes fechados e ao ar livre, mas desta vez, parques e áreas de lazer podem permanecer abertos.

Ainda assim, os moradores estão exasperados com o impasse político entre os governos central e regional, afirma a Reuters, e também apreensivos com a eficácia das medidas.

“Passamos oito meses mascarados e sem discotecas ou festas, e ainda há contágio. Qual será o impacto dessas restrições?” Questionou Sonny van den Holstein, dono de um restaurante na capital espanhola.

Covid-19 na Europa: autoridades de Madri pedem ajuda ao exército para combater o vírus

A chefe regional de Madrid, Isabel Díaz Ayuso, se opõe às restrições e apelou. Ela se preocupa com o prejuízo econômico e acusa o governo central de ultrapassar suas prerrogativas ao ordenar as medidas: a região argumenta que as restrições não combatem adequadamente a pandemia – e que custaria 750 milhões de euros (cerca de R $ 5 bilhões) por semana para a economia local.

Em rede social, Díaz Ayuso disse, na manhã desta sexta-feira (2), que “a partir de amanhã será possível ir de Berlim a Madrid, mas não a Parla. Obrigado pelo caos, Pedro Sánchez [premiê espanhol]”. Parla é uma cidade periférica ao sul da capital.

O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, fala à imprensa durante uma cúpula da União Europeia em Bruxelas, na Bélgica, em 1º de outubro. – Foto: Francisco Seco / POOL / AFP

O primeiro-ministro, em uma cúpula da União Europeia em Bruxelas, na Bélgica, disse que o único objetivo é salvar vidas e proteger a saúde.

“Todas as decisões são tomadas com base nos critérios dos cientistas”, disse Sánchez.

A Espanha tem quase 32.000 mortes por Covid-19, de acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (Who) Com 850 casos por 100.000 habitantes, a área de Madrid tem a pior taxa de casos da Europa.

Veja VÍDEOS sobre notícias internacionais

You May Also Like

About the Author: Edson Moreira Bezerra

"Zombieaholic. Amadores de comida amadora. Estudioso de cerveja. Especialista em extremo twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *