Mais de 4.500 prisões durante protestos pró-Navalny na Rússia – rts.ch

A polícia russa prendeu mais de 4.500 no domingo e bloqueou o centro de várias cidades, incluindo a capital. Esta ação vem após novas manifestações em todo o país para exigir a libertação de Alexey Navalny.

Essas prisões foram imediatamente condenadas, em termos veementes, pelos Estados Unidos e pela União Europeia.

O secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, denunciou as “táticas brutais” da polícia contra os “manifestantes pacíficos”, e a diplomacia russa denunciou a “grave interferência” dos Estados Unidos em seus “assuntos internos”.

O ministro das Relações Exteriores da UE, Josep Borrell “deplorou as prisões em massa” e o “uso desproporcional da força” contra manifestantes e jornalistas.

Em Moscou, os manifestantes e a tropa de choque presentes em massa brincaram de gato e rato o dia todo, ao ritmo das instruções veiculadas nas redes sociais pela equipe de Alexeï Navalny.

Confrontados com bloqueios da polícia, que também encerrou várias estações de metro, os manifestantes dirigiram-se ao centro de detenção onde Alexeï Navalny está detido, mas sem sucesso, antes de regressarem ao centro da cidade.

Em 85 cidades

Jornalistas da AFP viram milhares de manifestantes marchando pelo centro de Moscou gritando “Putin é um ladrão!” ou ainda “Liberdade!”, embora seu número exato seja difícil de avaliar devido à desordem que o cerca.

No início da tarde, a equipe de Navalny anunciou o fim da manifestação em Moscou.

De acordo com a organização OVD-Info, especializada no monitoramento de protestos, pessoas foram presas em 85 cidades, mas principalmente em Moscou e São Petersburgo.

Essas manifestações seguem um primeiro dia de mobilização no último sábado que reuniu dezenas de milhares de manifestantes e resultou em mais de 4.000 prisões, bem como a abertura de uma série de processos criminais.

>> Ouça o tema às 12h30:

Rússia: Manifestações em apoio ao adversário Navalny acontecem no país / 12h30 / 1 min. / Hoje às 12h33

Em São Petersburgo, outro reduto da oposição, cerca de 3.000 pessoas reunidas em uma praça no centro da cidade foram dispersas pelas forças de controle de distúrbios.

>> Fotos dos confrontos em São Petersburgo:

Em Novosibirsk, a terceira maior área metropolitana da Rússia, a mídia independente Taiga estimou o número de manifestantes em mais de 5.000, uma das maiores manifestações antigovernamentais dos últimos anos.

Poucos dias antes do aparecimento de Alexeï Navalny

Essas novas demonstrações acontecerão no contexto da apresentação de Alexey Navalny perante os juízes, marcada para a próxima semana. O oponente tem sido alvo de vários processos judiciais desde seu retorno à Rússia em 17 de janeiro, que ele considera motivados politicamente.

>> Leia também: Navalny, o homem que desafia o czar

Segundo o seu advogado, corre o risco particular de “cerca de dois anos e meio” de prisão por violar as condições da pena suspensa de três anos e meio de prisão, que lhe foi imposta em 2014.

A esposa de Alexeï Navalny, Yulia Navalnaïa, foi presa pela polícia quando tinha vindo para participar do comício, anunciou a equipe adversária.

A maioria de seus aliados próximos foi colocada em prisão domiciliar na sexta-feira pela justiça russa, dois dias depois de uma série de buscas que incluíram a casa de sua esposa e as instalações de sua organização, o Fundo Anticorrupção.

fgn com agências

You May Also Like

About the Author: Edson Moreira

"Zombieaholic. Amadores de comida amadora. Estudioso de cerveja. Especialista em extremo twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *