Marcius Mellhem é acusado de ser abusivo segundo o advogado das vítimas – Celebridades

Mais um capítulo sobre os supostos casos de assédio praticado pelo humorista Marcius Melhen apareceu no sábado (24).

Mayra Cotta, defensora da vítima, contou a Môniga Bergamo, da Folha de S. Paulo, em entrevista exclusiva, detalhes da ação movida contra o humorista. Não é apenas assédio moral, é também sexual.



divulgar

o comediante nega as acusações

“Havia um chefe [Melhem] que se aproveita de sua posição para tentar usar o poder que tinha de contratar ou demitir para constrangê-los de se envolverem com ele. Marcius Melhem foi um chefe que agiu de forma muito violenta com várias atrizes. Ele também assediou outros funcionários ”, explicou o advogado.

Ele também disse que havia um comportamento recorrente de prender atrizes e tentar agarrá-las, contra a vontade. Além de assediá-los com mensagens, segundo Cotta.

“Colocar em risco a carreira das mulheres que o rejeitaram. Estar obcecado, até mesmo perseguindo. Foi uma coerção sistemática e insistente, muito recorrente ”, detalha em entrevista.

“Foram casos de assédio sexual. De mulheres que falam ‘não, não quero, deixa eu ir’. Eu não vou beijar, eu não estarei com você. ‘ E ele tenta, ele agarra. Não há área cinzenta, isso é violência. E há algo muito sério. Ele era o patrão ”, enfatizou.

“São seis vítimas de assédio sexual e seis testemunhas. Existem vítimas de bullying. E existe um grupo de apoio para eles, de mais de 30 pessoas, que apoiam ou presenciaram os casos de assédio. O grupo também inclui homens que acreditam neles, que estão sendo muito firmes nessa luta ”, acrescentou o defensor criminoso. Os nomes das vítimas não foram identificados.

Respostas humorísticas

Logo após a publicação da entrevista, Marcius Melhem utilizou seu twitter para dar sua versão dos acontecimentos citados. “Diante de acusações tão graves que nunca cometi, o que posso fazer? Negar. Disponibilizo todas as comunicações que faço, com quem já trabalhou ou se relacionou comigo nesses anos ”, defendeu.

“Quem me conhece, que já morou comigo, sabe que é impossível para mim exercer violência, principalmente contra as mulheres. Eu nunca poderia forçar alguém a fazer uma parede. Em atendimento à Rede Globo, tudo foi minuciosamente investigado e investigado. Saí pela porta da frente da emissora onde trabalhei 17 anos ”, finalizou Melhem, que deixou a TV Globo em agosto.

You May Also Like

About the Author: Jonas Belluci Shinoda

"Viciado em Internet. Analista. Evangelista em bacon total. Estudante. Criador. Empreendedor. Leitor."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *