Marinho se ofereceu publicamente ao Corinthians minutos após a saída de Romero

Identificada por Fábio Carille em 2019 e Tiago Nunes em 2020, a falta de atacante no elenco do Corinthians poderia ter sido resolvida minutos após o último jogo de Ángel Romero pelo clube. Naquela época, o atacante Marinho foi oferecido publicamente ao Timão.

O episódio data de 2 de dezembro de 2018, quando o Corinthians de Jair Ventura se despediu do Brasileirão com uma derrota por 1 a 0 na Arena do Grêmio. Em entrevista coletiva pós-jogo, Duda Kroeff, vice-presidente do clube gaúcho, confirmou a possibilidade de intercâmbio entre Marinho, então sindicalista, e Juninho Capixava, então emprestado do Timão e cujos direitos federativos despertavam interesse do tricolor.

“Avaliamos e conversamos com os representantes. A situação vai avançar de forma mais concreta nos próximos dias”, disse Kroeff, conforme reproduzido na ocasião por GE.com.

Na prática, foi uma oferta pública e obviamente ainda não oficial do Grêmio ao Corinthians. Na mesma noite, o Meu leme achar algo a prancha alvinegra, até então, desconhecia a possibilidade de troca, levantada minutos antes pela prancha tricolor.

Ironicamente, naquele mesmo dia 2 de dezembro, no mesmo estádio onde Marinho se especulou no Corinthians, o último zagueiro do Timão viveu sua última jogada na zaga. Nos meses seguintes, Romero não chegou a acordo com a diretoria do Corinthian para a renovação do contrato. Irritado com a bagunça, o presidente Andrés Sánchez começou a zombar do paraguaio em entrevistas e proibiu Carille de subir nele.

Desde então, o Corinthians vem sofrendo com a falta de um atacante confiável, mesmo depois de 22 contratações para as temporadas de 2019 e 2020. Com certeza o Marinho seria essa manchete hoje se o desfecho da história aqui contada tivesse sido diferente. Na noite desta quarta-feira, ele se tornou o artilheiro do Brasileirão, com a camisa do Santos. Há até quem já tenha projetado um atacante de 30 anos para a seleção nacional.

Naquela época, é claro, o contexto era diferente. Marinho veio de uma temporada muito irregular e ficou encantado com o Grêmio de Renato Gaúcho.

Em relação a Juninho Capixaba, que custou ao Corinthians R $ 6 milhões mais o goleiro Douglas Friedrich em 2018, o Grêmio conseguiu garanti-lo pouco tempo depois. O clube Alvinegro acertou com os sindicalistas a venda de R $ 6 milhões mais 10% dos direitos econômicos de Ramiro em fevereiro de 2019.

Três meses depois, em troca do zagueiro David Braz pelo Grêmio, o Santos comprou Marinho por apenas R $ 4 milhões.

Veja mais em: Mercado da bola, Romero, contratos do Corinthians, Andrs Sanchez e Conselho de Administração do Corinthians.

You May Also Like

About the Author: Gabriela Cerqueira Corrêa

"Solucionador de problemas do mal. Amante da música. Especialista certificado em cultura pop. Organizador. Guru do álcool. Fanático por café."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *