Mass. girl encontra sucesso e confiança através do jiu-jitsu brasileiro

Quando se trata de crianças e esportes, existem muitas filosofias e abordagens parentais diferentes. Para uma família de Massachusetts, tratava-se de desenvolver a força interior de uma menina de 8 anos. Reisy Lima, de Lowell, começou a treinar jiu-jitsu brasileiro por meio de uma aula experimental. aqui”, disse Reisy. Para seu pai, Ray Lima, as artes marciais eram uma solução para tempos difíceis. “Quando eu fiz minhas artes marciais no Brasil, eu era muito tímido”, disse Ray Lima. “Eu nunca faria isso. Eu nunca faria essa entrevista, e em inglês.” Reisy disse que teve problemas na escola porque outras crianças zombavam de suas escolhas de roupas e de usar máscara. Mas desde que começou a treinar jiu-jitsu brasileiro, o bullying tem “Sinto-me muito confiante agora porque me sinto mais aliviada por não precisar mais ser intimidada”, disse ela. Além da confiança, Reisy ganhou muita habilidade. Ela está ganhando muitas competições, mesmo contra crianças mais velhas.” Nunca disse que era bom nisso, mas sempre acreditei em mim mesmo que poderia fazer isso e ganhar algumas vezes”, disse Reisy. Desde que comecei no jiu-jitsu em janeiro, Reisy ganhou cerca de dezenas de medalhas, então quem ganha um pouco mais vezes do que às vezes. “Depois de dois ou três meses, você poderia dizer que ele queria aprender e aprender e aprender”, disse Oscar Calderón, professor de jiu-jitsu de Reisy na Icon Jiu-Jitsu. inicialmente. Eu costumava dizer: ‘Vamos lá, sorria!’ e ela ficaria muito séria. Agora, você pode notar que o sorriso dela está ficando mais brilhante. “A felicidade que Reisy encontrou no jiu-jitsu não é apenas aprender, treinar e vencer. “Charlotte é minha amiga porque ela sempre me diverte. e me faz sentir feliz, e não sozinho. A Gabriela treina comigo e isso me deixa feliz também, porque tenho um parceiro para treinar”, disse Reisy. “A vida é feita de amigos, amizade. você”, disse Ray Lima. “Agora, você está começando a fazer alguns amigos. É mais feliz. Posso dizer isso.” Alguns jornais brasileiros ficaram sabendo do sucesso de Reisy e estão começando a escrever sobre sua excelência no jiu-jitsu.

Quando se trata de crianças e esportes, existem muitas filosofias e abordagens parentais diferentes. Para uma família de Massachusetts, tratava-se de desenvolver a força interior de uma menina de 8 anos.

Reisy Lima, de Lowell, começou a treinar jiu-jitsu brasileiro por meio de uma aula experimental.

“Passei muito tempo na frente da tela, e então meu pai me trouxe aqui”, disse Reisy.

Para o pai, Ray Lima, as artes marciais eram a solução para os momentos difíceis.

“Quando fiz minhas artes marciais no Brasil, eu era muito tímido”, disse Ray Lima. “Eu nunca faria isso. Eu nunca faria essa entrevista, e em inglês.”

Reisy disse que estava tendo problemas na escola porque outras crianças zombavam de suas escolhas de vestido e de usar uma máscara. Mas desde que ele começou a treinar jiu-jitsu brasileiro, o bullying parou.

“Sinto-me muito confiante agora porque me sinto mais aliviada por não precisar mais ser assediada”, disse ela.

Além da confiança, Reisy ganhou muita habilidade. Ela está ganhando muitas competições, mesmo contra crianças mais velhas.

“Eu nunca disse que era bom nisso, mas sempre acreditei em mim mesmo que poderia fazer isso e vencer às vezes”, disse Reisy.

Desde que começou no jiu-jitsu em janeiro, Reisy ganhou cerca de uma dúzia de medalhas, então ele ganha com um pouco mais de frequência.

“Depois de dois ou três meses, você poderia dizer que ele queria aprender e aprender e aprender”, disse Oscar Calderón, professor de jiu-jitsu de Reisy na Icon Jiu-Jitsu. “Ela era muito tímida no começo. Eu costumava dizer: ‘Vamos lá, sorria!’ e ela ficaria muito séria. Agora, pode-se dizer que seu sorriso está ficando cada vez mais brilhante.”

A felicidade que Reisy encontrou no jiu-jitsu não vem apenas de aprender, treinar e vencer.

“Charlotte é minha amiga porque ela sempre me diverte e me faz sentir feliz, e não sozinha. A Gabriela treina comigo e isso me deixa feliz também, porque tenho uma parceira para treinar”, disse Reisy.

“A vida é sobre amigos, amizade. Você tem que se cercar de pessoas”, disse Ray Lima. “Agora, ele está começando a fazer alguns amigos. Ele está mais feliz. Eu posso te dizer isso.”

Alguns jornais brasileiros ficaram sabendo do sucesso de Reisy e estão começando a escrever sobre sua excelência no jiu-jitsu.

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.