Médico picado por cobra na MT sai da UTI de São Paulo, diz irmã

A Dra. Dieynne Saugo, picada por uma cobra em um banho de cachoeira, saiu da UTI do Hospital Albert Einstein, em São Paulo, onde ficou internada. A informação foi divulgada por sua irmã, Nathalia Saugo, em uma rede social.

“A Dy já teve alta para sair da UTI e ir para o quarto dela, deixaram alguém sair para ficar com ela, claro com todos os cuidados possíveis”, escreveu Nathalia.

Diyenne foi mordido por uma jararaca enquanto tomava banho de cachoeira com amigos, em Nobre (MT), no dia 31 de agosto. Ao chegar ao hospital, ele foi diagnosticado com covid-19. A família do médico fez um gatinho para que fosse transferido para São Paulo para um tratamento que custa em torno de R $ 300 mil.

O médico teve que passar por uma cirurgia no braço, em um dos locais onde a cobra o picou. Eles também picaram seu rosto.

Nathalia contou ao UOL que as condições da irmã eram agravadas pela falta de antídoto para o veneno da cobra. “Se eu tivesse o antiveneno no lugar, eu acho [o quadro dela] Não teria piorado tanto ”, disse. O médico teve que ser transferido para Cuiabá para tratamento.

“Todos os hospitais de Cuiabá estão lotados. Havia uma vaga em um, mas estava no covid-19 quarto de pacientes. Até então, não sabíamos que já estava contaminado. Só descobrimos outro dia [quando ela já havia sido levada para São Paulo]”, Explicar.

Apesar do diagnóstico de covid-19, o médico, conhecido nas redes sociais como “Dr. Fit”, não apresentou sintomas da doença. Nathalia lembra que o caso era grave e a família teve que agir rapidamente. Segundo ela, a irmã corria risco de amputar o braço devido à picada da cobra.

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa Esteves

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *