Melody of Memory é um passeio divertido, mas acidentado

A franquia Hearst Kingdom já existe há muito tempo. Sempre muito aclamados por sua excelente trilha sonora, agora temos um jogo rítmico, voltado especificamente para as músicas da franquia.

Ficha técnica:

Desenvolvedor: Square Enix e Indieszero

Editora: Square Enix

Diretores: Tetsuya Nomura e Masanobu Suzui

Compositores: Yoko Shimomura, Takeharu Ishimoto e Tsuyoshi Sekito

Plataforma: Nintendo Switch, PlayStation 4 e Xbox One

Data de lançamento global: 13 de novembro de 2020

Por quase duas décadas, corações do reino é uma das franquias mais queridas em videogames. E este não é um título que o jogo conquista facilmente. Ele conseguiu montar uma história divertida com personagens carismáticos, ótimos gráficos e uma trilha sonora incrível em uma franquia cheia de ótimos jogos.

Seguindo diretamente após os eventos de Kingdom Hearts III, Kingdom Hearts: Melody of Memory É uma aventura que relembra vários momentos desta grande saga, trazendo também um pouco da história após os acontecimentos do último jogo do título principal.

Obviamente, este não é um jogo de história, muito pelo contrário, sendo um jogo de ritmo que se preocupa mais em fazer você pressionar botões malucos, mas faz um ótimo trabalho combinando isso com uma recapitulação dos eventos da série, que é um bom ponto de partida para quem quer saber mais sobre a história, ou relembrar os primeiros jogos.

Ainda assim, se você é fã de Kairi e espera que ela apareça no título, é melhor se preparar. Apesar de estar na capa do game e em grande parte do material promocional, o personagem mal aparece em toda a campanha e não é um personagem jogável. Conta parte da história, mas para um jogo que prometia finalmente dar-lhe mais atenção, é muito decepcionante que tenha um papel tão pequeno.

A jogabilidade é muito simples para quem já jogou qualquer outro jogo de ritmo. Aqui, você precisa pressionar os botões conforme as instruções aparecem na tela. Cada um faz algo diferente e às vezes você tem que pressionar três ao mesmo tempo para derrotar os inimigos.

As fases são divididas em três tipos diferentes: Campo, chefe e memória. A primeira é a fase mais comum e simples do jogo, onde você luta contra os inimigos e usa poderes para chegar ao fim. Os estágios do chefe também não são muito difíceis ou complicados, mas podem ser difíceis com a grande quantidade de informações na tela, o que pode ser confuso para o jogador.

Como Fases de “memórias” certamente eram meus favoritos. Eles são desbloqueados no modo campanha ou usando a parte “artesanato”, que também permite que você crie itens para seu uso. Essas fases são bem mais longas e trazem as músicas mais famosas da franquia, deixando um sorriso no rosto de qualquer fã de Corações do Reino.

Outro destaque do título é como ele traz tantos colecionáveis: música, imagens, arte e várias coisas que vão deixar os fãs da franquia muito felizes em desbloquear cada uma das conquistas para completar todas as suas coleções.

Algo que pode causar problemas para quem quer tocar sem muita preocupação é que para desbloquear todas as músicas você precisa tocar no modo história. No entanto, para aqueles que não estão acostumados com o estilo, o jogo pode ser bastante difícil nos níveis superiores.

Outro problema no modo campanha é que muitas vezes você precisa completar os níveis no modo normal ou difícil para subir de nível; a maioria desses níveis, no entanto, pede que você os conclua sem usar itens para obter uma pontuação mais alta.

Isso acaba ficando meio confuso, afinal, por que colocar uma dinâmica interessante, bonita e divertida, só para punir o jogador que a utiliza? Isso se agrava quando o título tenta inserir alguns elementos de RPG que não são muito úteis, principalmente quando a maioria é para criar elementos que, se usar no modo história, perderá pontos por isso.

Finalmente, Kingdom Hearts: Melody of Memory É um bom jogo da franquia e um ótimo jogo de ritmo, mas tem alguns problemas que podem irritar jogadores de outros títulos semelhantes. O maior problema, talvez, foi colocar (pequenas) partes da história que não foram mostradas em outros jogos, já que alguns fãs da franquia podem não gostar desse estilo de jogo.

Nota: 3,5/ 5

A crítica foi feita a partir da versão jogada no PlayStation 4.

Aproveite o tema do jogo e lembre-se das melhores coisas sobre Kingdom Hearts III:

You May Also Like

About the Author: Gabriela Cerqueira Corrêa

"Solucionador de problemas do mal. Amante da música. Especialista certificado em cultura pop. Organizador. Guru do álcool. Fanático por café."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *