MERCADOS EMERGENTES – Câmbio Latam cai, real do Brasil sobe com dados de serviços sólidos

* O real é o único vencedor na América Latina * Peso chileno se estabiliza após a alta da taxa * Petrobras sobe enquanto Bolsonaro cogita privatização Por Ambar Warrick 14 de outubro (Reuters) – Real brasileiro subiu quinta-feira com preços do que o esperado, enquanto a maioria das demais moedas latino-americanas ficaram em silêncio enquanto os dados econômicos dos EUA alimentavam as apostas em uma redução antecipada pelo Federal Reserve. O real somou 0,2% e foi o único vencedor na América Latina, se recuperando de suas baixas de quase seis meses depois que a atividade de serviços cresceu 16,7% em agosto em relação ao ano passado, indicando alguma resiliência da economia. “Esperamos que alguns dos setores de serviços afetados pela COVID se recuperem ainda mais nos próximos meses, juntamente com novos avanços no programa de vacinação da COVID, a reabertura da economia e o estímulo fiscal renovado”, escreveram analistas do Goldman Sachs. “No entanto, a aceleração da inflação, o aumento das taxas de juros, o aumento do ruído político e da incerteza política e a interrupção da tendência de alta na confiança do consumidor e do empresariado podem acabar com a alta.” A maior economia da América Latina e a maioria dos mercados emergentes estão ameaçados pelo aumento da inflação, o que provavelmente anulará qualquer impulso para uma recuperação econômica. O aumento dos preços dos combustíveis, as interrupções na cadeia de abastecimento global e a escassez de energia devem alimentar a inflação e prejudicar o sentimento em relação aos mercados emergentes nas últimas semanas. O peso chileno caiu 0,1% após alta de 1% na quarta-feira, quando o banco central aumentou as taxas de 1,25% para 2,75% em meio a crescentes pressões inflacionárias no país. O movimento foi maior do que o projetado por analistas. Mas o banco central não deu nenhum sinal concreto sobre a intenção de continuar aumentando as taxas. Ainda assim, a mudança aproxima as taxas de empréstimo no Chile das de seus pares nos mercados emergentes, o que provavelmente beneficiará o peso. As expectativas de redução nos Estados Unidos aumentaram depois que os dados mostraram uma queda acentuada nos pedidos de seguro-desemprego semanais, enquanto uma leitura separada mostrou que a inflação dos preços ao produtor estava subindo. A redução das medidas de estímulo aumentará as taxas de empréstimos no mundo desenvolvido, o que, por sua vez, tende a fazer com que os ativos dos mercados emergentes pareçam menos atraentes. O peso mexicano caiu 0,4% em relação ao dólar, o valor mais alto entre seus pares regionais, enquanto o peso colombiano perdeu 0,3%. Entre as ações da América Latina, a empresa brasileira de petróleo e gás Petrobras subiu 1%, já que o presidente Jair Bolsonaro disse que estava inclinado a fechar o capital da empresa, enquanto delineava possíveis regulamentos sobre os preços locais dos combustíveis. Mas o índice Bovespa do Brasil foi atingido por perdas em ações do setor financeiro. Principais índices de ações e moedas da América Latina: Último% da variação diária MSCI Emerging Markets 1.267,00 0,54 MSCI LatAm 2.249,82 0,96 Brasil Bovespa 113 483,34 0,02 México IPC 51 985,65 0,33 Chile IPSA 4016, 11 0,24 Argentina MerVal – – Colômbia COLCAP 1 397,63 0,24 Moedas Último variação% diária Real Brasil 5,4951 0,22 Peso mexicano 20,6225 -0,36 Peso chileno 815,58 -0,09 Peso colombiano 3,748,03 -0,28 sol peruano 3,97 -0,12 Peso argentino 99,1500 -0,02 (interbancário) (Relatório Warrick Ambar; Edição Giles Elgood)

You May Also Like

About the Author: Jonas Belluci

"Viciado em Internet. Analista. Evangelista em bacon total. Estudante. Criador. Empreendedor. Leitor."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *