Milhares de pessoas se manifestam a favor do Bolsonaro apesar da crise do COVID no Brasil | Notícias da pandemia de coronavírus

A demonstração de apoio ao presidente brasileiro de extrema direita ocorre no momento em que Jair Bolsonaro enfrenta a investigação do Senado para lidar com a pandemia.

Milhares de pessoas se manifestaram em todo o Brasil em apoio ao presidente de extrema direita Jair Bolsonaro, cujo tratamento da pandemia COVID-19 foi amplamente criticado em meio a um aumento contínuo de mortes e infecções.

Os manifestantes se reuniram em São Paulo, Rio de Janeiro e na capital Brasília, onde milhares se reuniram na Esplanada dos Ministérios enquanto Bolsonaro passava brevemente por cima de um helicóptero.

“É um momento crítico e o Bolsonaro precisa do apoio do povo”, disse Edvaldo de Paulo, um manifestante que parecia ter 60 anos, à agência de notícias AFP em Brasília.

Bolsonaro continuou a minimizar a gravidade da COVID-19, descartando-a como uma “pequena gripe” no início da pandemia e rejeitando medidas de saúde pública, como fechamentos, apesar da crise contínua do coronavírus no Brasil.

Apoiadores do presidente brasileiro Jair Bolsonaro participam de manifestação em São Paulo no dia 1º de maio [Amanda Perobelli/Reuters]

O país sul-americano ultrapassou 400.000 mortes ligadas ao COVID-19 na sexta-feira, o segundo maior total do mundo depois dos Estados Unidos, e registrou mais de 14,6 milhões de infecções até o momento, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins.

Mais da metade dessas mortes foram registradas apenas em 2021, enquanto abril foi o mês mais letal desde que o vírus começou a se espalhar no Brasil no ano passado.

Especialistas disseram que variantes mais novas e mais facilmente transmissíveis do coronavírus contribuíram para sua disseminação, enquanto muitos culparam o Bolsonaro por não tomar medidas para conter COVID-19.

Na semana passada, o Senado brasileiro abriu uma investigação sobre a forma como o governo está lidando com a pandemia, incluindo como as unidades de saúde na cidade amazônica de Manaus ficaram sem oxigênio no início deste ano.

Bolsonaro rejeitou qualquer crítica, no entanto, dizendo na semana passada que seu governo não “aceitará esta política de ficar em casa e fechar tudo”.

Apoiadores do presidente brasileiro Jair Bolsonaro oram enquanto participam de um protesto em São Paulo [Amanda Perobelli/Reuters]

O governo brasileiro também foi criticado por não garantir e distribuir rapidamente as vacinas COVID-19.

O regulador do país deu luz verde a duas vacinas COVID-19, AstraZeneca e Coronavac, em janeiro e também aprovou os jabs da Pfizer-BioNTech e da Johnson & Johnson, que ainda não chegaram.

Na semana passada, os desenvolvedores da vacina russa Sputnik V criticaram o Brasil por se recusar a importar a vacina, dizendo que a decisão teve motivação política.

Enquanto isso, as comunidades pobres e marginalizadas em todo o país continuam a ser as mais atingidas pelo vírus, já que milhões de pessoas também passam fome em meio à crise.

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *