MIT propõe usar um escudo de bolhas espacial do tamanho do Brasil para resfriar a Terra

Uma equipe de pesquisadores do MIT está investigando um método radical para neutralizar os efeitos das mudanças climáticas, um comunicado de imprensa revela.

Eles propõem usar uma frota de “bolhas espaciais” para refletir a luz do sol para longe da Terra.

Como todos sabemos, essas ideias malucas nem estariam na mesa se os humanos tivessem reduzido drasticamente o uso de combustíveis fósseis anos atrás, mas aqui estamos.

Enquanto alguns cientistas alertam que a geoengenharia é uma distração perigosa do trabalho real necessário para reduzir as emissões, outros dizem que precisamos avaliar todas as opções. É aí que entram as bolhas espaciais da equipe do MIT.

‘Bolhas espaciais’ são uma forma mais segura de geoengenharia solar

O método da equipe do MIT é uma nova forma de geoengenharia solar, projetada para refletir a luz solar para longe da Terra para resfriar nosso planeta e evitar os piores efeitos das mudanças climáticas. A técnica de geoengenharia solar mais estudada envolve a injeção de partículas de aerossol refletivas na atmosfera superior. No entanto, o potencial impacto negativo de tal método ainda não é totalmente compreendido, o que significa que está longe de ser visto como uma opção viável.

A abordagem dos cientistas do MIT seria um pouco diferente. Em vez de injetar partículas na atmosfera da Terra, sua abordagem refletiria o calor do sol do espaço, o que significa que partículas potencialmente nocivas não teriam que ser injetadas em nossa atmosfera.

Os pesquisadores estão estudando a possibilidade de colocar um escudo feito de “bolhas espaciais” no Ponto Lagrangeano 1, que é um ponto orbital relativamente estável no espaço onde a força gravitacional da Terra e do Sol se equilibra. O Telescópio Espacial James Webb, por exemplo, está posicionado no Ponto Lagrangiano 2.

A solução de ‘bolha espacial’ do MIT pode ser implantada do espaço. Fonte: MIT/Sensível

O maior obstáculo a este método é, sem dúvida, a logística. Os cientistas do MIT acreditam que o escudo da bolha teria que ser aproximadamente do tamanho do Brasil. No entanto, eles acreditam que as bolhas poderiam ser fabricadas no espaço, reduzindo os custos de lançamento. Eles estão atualmente experimentando em laboratório com “bolhas espaciais” feitas de silicone.

Dentro comunicado de imprensaeles explicaram como em “experimentos preliminares, conseguimos inflar uma bolha de filme fino a uma pressão de 0,0028 atm e mantê-la em torno de -50 ° C (para aproximar condições espaciais de pressão zero e temperatura próxima de zero)”.

A geoengenharia solar poderia servir como um bote salva-vidas para a humanidade?

Crucialmente, os pesquisadores do MIT também escreveram que sua solução de geoengenharia solar seria “totalmente reversível”, presumivelmente significando que as bolhas poderiam estourar rapidamente se descobrirmos que estão tendo um efeito não intencional em nosso planeta.

Isso é muito importante, pois ainda temos que entender completamente a complexidade da mudança climática em si, muito menos os métodos de geoengenharia.

MIT propõe usar um escudo de 'bolha espacial' do tamanho do Brasil para resfriar a Terra
A equipe do MIT diz que sua solução é “totalmente reversível”. Fonte: MIT/Sensível

Em uma entrevista com a revista DiscoverLinda Schneider, especialista internacional em política climática, disse que “mesmo nossa compreensão das mudanças climáticas que estamos causando involuntariamente agora ainda tem limitações, especialmente quando se trata de impactos no futuro. Nossa compreensão do que aconteceria se fôssemos manipular intencionalmente o clima em escala global é ainda menor”.

É claro que mais pesquisas são necessárias, embora as “bolhas espaciais” sejam, no papel, uma forma mais segura de geoengenharia solar. No entanto, se os piores efeitos das mudanças climáticas se tornarem realidade, como provavelmente acontecerão do jeito que as coisas estão, essa proposta poderá servir como uma tábua de salvação vital para a humanidade.

You May Also Like

About the Author: Jonas Belluci

"Viciado em Internet. Analista. Evangelista em bacon total. Estudante. Criador. Empreendedor. Leitor."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.