Mulher caçou girafa e tirou fotos mostrando seu coração nas redes sociais – África – Internacional


Em 14 de fevereiro, Merelize Van Der Merwe, uma caçadora sul-africana de 32 anos, carregou algumas fotos em sua conta. o Facebook posando orgulhosamente com o coração de uma girafa nas mãos.

Os internautas foram rápidos em mostrar sua indignação com as imagens horríveis.

O mulher ele não se retrata de suas ações, pois, como escreveu na descrição, “Estou absolutamente feliz com meu presente de dia dos namorados”.

(Você pode estar interessado: Ultrajante, ultrajoso! Ele matou seu cachorro arrastando-o pela rua com seu carro)

Merwe postou vários posts em 13 de fevereiro, caçando uma girafa de 17 anos ao norte de África do Sul.

A mulher disse que, desde 2016, procurava uma girafa negra mais velha para caçar como troféu, mas, segundo ela, nenhuma delas ‘atendeu’ suas expectativas.

Em 2017, ela encontrou um espécime que considerou ideal. No entanto, um de seus amigos caçadores matou o animal antes que a mulher pudesse “comprar” a vida da girafa.

Entre 2019 e 2020, a Merelize estava prestes a desistir da ideia até que, duas semanas antes do Dia dos Namorados deste ano, um amigo a contatou para anunciar que ela tinha a girafa desejada: negra e idosa.

Esta é uma das imagens postadas pela mulher em sua conta no Facebook.

Foto:

Facebook: Merelize van der Merwe

A mulher alegou que Gerhardt Nell, seu marido, reservou um quarto em um hotel em Sun City, um complexo hoteleiro de luxo, para comemorar aquela data especial.

Mas a notícia da descoberta de animal planos interrompidos.

O amigo do caçador ganhou 1.500 libras esterlinas (aproximadamente 7,5 milhões de pesos) para poder rastrear a girafa no meio de alguns arbustos e matá-la com balas. No dia da caçada, Merwe carregou várias fotos junto com a carcaça do animal.

(Leia também: Trauma de urso que imagina estar enjaulada, após 20 anos trancada)

Depois disso, ele anexou um vídeo de um tiro no pescoço da girafa. Depois que a criatura estava deitada no chão, ele se aproximou e deu um segundo tiro que acabou com seu vida.

“Fiquei literalmente como uma garotinha por 2 semanas e contei os dias. Aí fiquei muito emocionado porque esperava anos por esta oportunidade ”, disse ele sem remorso.

Então fiquei emocionado, pois há anos espero por esta oportunidade

A mulher, com mais de 97 mil seguidores no Facebook, recebeu todo tipo de crítica e comentários de pessoas indignadas, embora também houvesse quem apoiasse sua prática.

Ela chamou os ativistas pelos animais e aqueles que deram a homenagem de “liberais desencadeados”.

“Não tenho medo de críticas, principalmente dos ativistas pelos direitos dos animais que ainda moram com a mãe (…) vão ao supermercado e compram a carne porque lá nenhum animal se machuca”, escreveu.

(Você pode nos ver no app EL TIEMPO? Você pode ver a publicação aqui)

De acordo com o portal inglês ‘Daily Mirror’, Merwe é um conhecido caçador que matou pelo menos 500 animais em sua vida, incluindo leões, leopardos e elefantes.

Ela tem esse estilo de vida acreditando que a caça de troféus ajuda a conservar as espécies, porque, como ela costuma dizer nas redes sociais, elimina os animais mais velhos da população ao mesmo tempo que fornece fundos para a conservação.

Por sua vez, os ativistas pelos animais dizem que essa prática incentiva as pessoas a criarem animais para a prática de esportes, perturbando os ecossistemas e prejudicando o equilíbrio ambiental.

(Continue lendo: Ultrajante: a mulher matou o cachorro porque o namorado não gostava dela)

Tendências TEMPO

You May Also Like

About the Author: Edson Moreira

"Zombieaholic. Amadores de comida amadora. Estudioso de cerveja. Especialista em extremo twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *