‘Música e dança estão ligadas ao futebol’: ícone brasileiro Gilberto Silva rebate críticas a festas dançantes

Jogadores da seleção brasileira comemoram um gol dançando na Copa do Mundo da FIFA. (Crédito da foto: AP)

Gilberto Silva, que fez parte da Seleção Brasileira Ronaldo-Rivaldo-Ronaldinho em 2002, acredita que o futebol deve ser um ‘lugar feliz’.

A participação do Brasil na recém-concluída Copa do Mundo da FIFA pode ter terminado nas quartas de final nos pênaltis contra a Croácia, mas os jogadores com as icônicas camisas amarelas das Canárias receberam muitas críticas durante o torneio por seus movimentos de dança, depois de marcar gols nas partidas anteriores partidas.

O Brasil separou um infeliz time sul-coreano e dançou enquanto o fazia. A certa altura, até o técnico Tite entrou na brincadeira, fazendo uma dança de pombo com Richarlison.

O trabalho de pés extravagante irritou especialistas em futebol como Roy Keane, que comparou assistir a um jogo do Brasil a assistir a um episódio do popular programa de dança Strictly Come Dancing.

“Olha, nunca vi tanta dança, é como assistir ao Strictly”, disse o ex-capitão do Manchester United. “Eu simplesmente não posso acreditar no que estou vendo, eu realmente não posso. Não gosto disso, acho muito desrespeitoso com a oposição.”

Mas o ex-jogador de futebol brasileiro Gilberto Silva não tem nada disso. Gilberto fez parte da equipe que conquistou o Brasil em sua última Copa do Mundo da FIFA. Eles eram um time conhecido tanto pelas devastadoras proezas de ataque de jogadores como Ronaldo, Rivaldo e Ronaldinho quanto por suas alegres comemorações de gols.

“Na minha opinião, o futebol deve ser um lugar feliz para torcedores e jogadores. Então, quando você marca um gol, você comemora do jeito que você gosta. Veja os torcedores das seleções africanas. Eles dançam nas arquibancadas quando seu time não marca. Eles dançam quando seu time marca. Não entendo tantas críticas à Seleção Brasileira dançando e comemorando seus gols. Faz parte da nossa cultura também.

“Música e dança estão ligadas ao futebol. Talvez haja uma confusão de que quando os brasileiros dançam, eles estão desrespeitando seus oponentes. Não é assim. Faz parte da nossa cultura, da forma como vivemos! Talvez para algumas pessoas fosse demais. Algumas pessoas que criticam os jogadores nunca estiveram lá, em uma Copa do Mundo. Então eles não sabem como é difícil marcar em uma Copa do Mundo. Quando você tiver a chance de marcar um gol em uma Copa do Mundo, vamos lá! Futebol tem que ser feliz. Se você não pode comemorar do jeito que quer, desde que respeite o adversário e a torcida, não tenho problema com isso”, disse Gilberto, que está na Índia como um dos analistas especialistas da Viacom18 Sports para a Copa do Mundo da FIFA. .

A última vez que o Brasil conquistou um título foi há duas décadas, uma seca sem precedentes para um time tão condecorado no cenário mundial quanto o Brasil. Então, o que o Brasil deve fazer para conquistar sua sexta Copa do Mundo?

“Vamos ver o que acontece quando chegar o novo técnico do Brasil. Temos que ver qual é a sua filosofia. Acho que todos os jogadores da seleção devem saber que, quando estão lá, representam mais do que o futebol. Eles representam o país, a cultura, o seu povo. Significa muito (jogar pelo Brasil). Tenho certeza de que muitos dos jogadores que jogaram no Qatar 2022 também estarão lá para a próxima Copa do Mundo em quatro anos. Eles aprenderão suas lições. Lições difíceis! Mas estes são tempos difíceis. Se você souber dar um novo significado ao resultado… nem sempre poderá ficar preso a maus resultados ou derrotas. Você tem que ir em frente. Você precisa de um novo plano. Novas metas”, disse Gilberto.

You May Also Like

About the Author: Jonas Belluci

"Viciado em Internet. Analista. Evangelista em bacon total. Estudante. Criador. Empreendedor. Leitor."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *