Notícias – Alvaro aos 30

Saquarema, Brasil, 27 de novembro de 2020 – É o vôlei de praia de sempre para Álvaro Filho, já que o futuro atleta olímpico comemora 30 anos em Saquarema, onde ele e Alison Cerutti buscarão o terceiro título nacional consecutivo neste final de semana. semana no Centro Brasileiro de Desenvolvimento do Voleibol.

“Não será a primeira vez que isso acontecerá”, disse Álvaro sobre jogar um evento de vôlei de praia em seu aniversário. “Com nossas carreiras, estamos viajando com frequência, então acho que todos podem vivenciar isso em algum momento. É difícil estar ausente em aniversários ou datas comemorativas, mas aprendemos a lidar com isso. Fizemos uma festinha de aniversário com uma semana de antecedência em João Pessoa no fim de semana passado para que eu pudesse comemorar com meus amigos e família. Foi divertido.”

Álvaro recebeu um presente de aniversário antecipado no dia 11 de outubro, quando se tornou pai quando sua esposa Marcella Trombetta deu à luz o primeiro filho do casal, Dom. “O nascimento do meu filho mudou minha vida de uma forma muito positiva”. Álvaro disse. “Sinto-me uma pessoa mais completa agora, é um sonho que tive, uma nova fase da minha vida e estou a desfrutar cada minuto.”

Com sua última competição internacional há mais de 14 meses em Roma pelas finais do Tour Mundial de Vôlei de Praia da FIVB, Álvaro agradece a oportunidade de jogar no mês passado no Brasileiro.

“Não há nada melhor para nós do que jogar e sabemos que tem sido um momento difícil para todos no mundo, então para nós poder competir significa muito”, disse Álvaro, que conquistou dez títulos nacionais brasileiros e jogou entre os três primeiros colocados. vezes. “Vimos alguns outros países como os Estados Unidos e algumas nações europeias fazendo suas turnês há alguns meses e é bom para nós fazer o mesmo agora. O Tour Brasileiro é especialmente importante para nós de muitas maneiras diferentes e nos ajuda a alcançar vários de nossos objetivos e nos preparar bem para a temporada internacional.

Jogando com o duas vezes medalhista olímpico Alison desde abril de 2019, Álvaro disse que sua equipe tem “treinado em Vitória a maior parte do tempo. Mas depois do nascimento do meu filho, ele e minha esposa ficamos na minha cidade natal João Pessoa, onde eles têm um melhor apoio de nossas famílias. Por isso vou e volto de Vitória para João Pessoa e tenho a sorte de meus bons amigos do CT Cangaço me abrirem as portas para treinar com eles quando estou lá ”.

Álvaro e Alison jogaram em 13 eventos do FIVB World Tour juntamente com um recorde de 48-18 partidas com medalhas de ouro em 2019 em paradas na Malásia (Kuala Lumpur) e Portugal (Espinho), seguido por segundos lugares em eventos consecutivos. em Viena e Moscou. A dupla também registrou a quarta no evento Teste Olímpico de Tóquio em julho.

Álvaro Filho (à esquerda) e Alison Cerutti comemoram a medalha de ouro brasileira no Espinho Open 2019.

Quanto ao companheiro de Alison, Álvaro o chama de “um grande parceiro em todos os aspectos. Ele é um dos parceiros mais profissionais e dedicados que já tive. Nós nos damos muito bem dentro e fora da quadra e ajuda o fato de estarmos passando por momentos muito semelhantes em nossas vidas pessoais, pois ambos nos casamos no mesmo ano e enquanto meu filho nasceu recentemente, ele e sua esposa estão esperando um filho. primeira filha. Temos podido partilhar muito a nível profissional e pessoal ”.

Sobre o adiamento das Olimpíadas de 2020, Álvaro disse que ficou “surpreso quando ouvi a notícia pela primeira vez. Mas no final, entendo que tudo faz parte dessa nova realidade com a qual todos temos que lidar. Tentei ver o lado positivo desta situação infeliz e foi bom poder passar mais tempo com a minha família e conhecer melhor a Alison e ter mais tempo para construir a nossa equipa. ”

As equipes que buscam representar o Brasil em Tóquio (da esquerda para a direita) são Evandro Gonçalves, Bruno Oscar Schmidt, Alvaro Filho e Alison Cerutti.

Alvaro, o MVP do Campeonato Mundial 2013 em Stare Jablonki, Polônia, venceu eventos do World Tour com quatro parceiros diferentes considerados entre os melhores bloqueadores internacionais: Ricardo Santos, Pedro Solberg, Saymon Barbosa e Alison.

“Tive vários parceiros e aprendi muito com cada um deles”, disse Álvaro. Tive a sorte de ter a oportunidade de jogar com esses quatro, mas também com o Vitor Felipe. Todos são jogadores excepcionais e tenho muita sorte de ter alcançado alguns dos meus objetivos com eles. Nosso esporte requer uma grande adaptabilidade, mesmo devido às condições climáticas, então acho que isso vem naturalmente quando se trata de parceiros de alguma forma. ”

Álvaro começou a jogar internacionalmente em 2008, quando ele e Vitor Felipe representaram o Brasil em três Campeonatos Mundiais por Idade e conquistaram medalhas de prata juntos nas finais de Sub-21 na Inglaterra e na Turquia em 2009 e 2010, respectivamente.

Álvaro Filho (centro) e Vitor Felipe entrevistados na Copa do Mundo Sub-21 2019, na Turquia.

Depois de disputar quatro eventos do World Tour em 2011 e 2012, com destaque para a quarta colocação em suas primeiras provas com Neilton Santos em julho de 2011 em Quebec, Canadá, Álvaro completou sua primeira temporada completa no circuito internacional em 2013 com Ricardo como A dupla ficou em segundo lugar no Campeonato Mundial em Stare Jablonki, seguido por uma medalha de ouro na semana seguinte em Gstaad, na Suíça.

Depois de jogar contra Ricardo em 19 eventos, Álvaro aliou-se a Solberg nos dois últimos eventos de 2014, com destaque para a medalha de ouro na estreia em agosto de 2014 no Stare Jablonki. Na temporada seguinte, Álvaro começou a competir com Vitor Felipe novamente, com a dupla compilando um recorde de 53-39 em 18 eventos com uma participação nas semifinais no início da temporada de 2016 em Maceió, Brasil.

Álvaro começou a jogar Saymon em 2017, quando a dupla conquistou uma medalha de ouro em seu primeiro evento de medalha de ouro no World Tour juntos por derrotar os compatriotas Evandro Gonçalves e Andre Loyola duas vezes a caminho de vencer o Forte Major. Lauderdale. As lesões de Saymon encerraram a parceria em 2018, quando Álvaro iniciou a temporada 2019 com Ricardo antes da antiga parceria de Alison em abril.

“Sinto muita falta das competições internacionais”, disse Álvaro, que acumulou uma marca de 225-145 partidas (60,8 porcentagem de vitórias) em 81 eventos do FIVB World Tour com 14 medalhas, 19 quartas de final e 33 participações nas quartas de final. “Os melhores do planeta estão no World Tour e mal posso esperar para enfrentá-los novamente. E sinto ainda mais falta dos fãs. Adoro a sensação de jogar em um estádio lotado e, infelizmente, essa não é uma opção no momento. “

Sobre os seus momentos mais marcantes no Circuito Mundial, Álvaro disse que “viveu alguns momentos marcantes. A primeira coisa que me vem à cabeça é meu primeiro evento, em Quebec, quando me juntei ao Neilton e chegamos às semifinais. Joguei na direita toda a minha carreira e nesse evento, joguei na esquerda, o que era uma novidade na época. Foi divertido que antes do torneio tirei uma foto com Rogers e Dalhausser, que eram os campeões olímpicos em título na época, e os jogamos nas semifinais. Dois anos depois, com o Ricardo, conquistamos a prata no Mundial e logo a seguir o ouro em Gstaad, o que foi muito especial. Lembro-me também de uma bela vitória com o Pedro no Stare Jablonki em 2014. Em 2017, com o Saymon, iniciamos o Fort Lauderdale Major na cota do país e vencemos o torneio sem perder nenhum set. E a seqüência que tive com Alison no ano passado, quando passamos da 46ª para a 3ª posição no ranking mundial em apenas alguns meses depois de vencer um evento de três estrelas na Malásia e um torneio de quatro estrelas em Portugal, foi incrível.

You May Also Like

About the Author: Ivete Machado

"Introvertido. Leitor. Pensador. Entusiasta do álcool. Nerd de cerveja que gosta de hipster. Organizador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *