Novas espécies detectadas no Reino Unido também estão se espalhando na Holanda

Reuters

O Instituto Holandês de Saúde Pública e Meio Ambiente (RIVM) relatou que a nova variante do coronavírus mutado, detectada pela primeira vez no Reino Unido, também se espalhou em seus próprios países.

Durante os controles, foi determinado que o vírus apareceu em pessoas que não tinham laços com a Inglaterra.

O governo holandês decidiu aplicar a exigência de teste negativo para passageiros da Inglaterra e África do Sul, onde a nova variação do vírus é observada, para todos os voos.

Foi anunciado que o novo vírus mutante, que estava determinado a se espalhar rapidamente no Reino Unido, também foi visto em uma pessoa na Holanda no início de dezembro.

8 dias depois, o mesmo vírus foi encontrado em outro paciente.

Segundo o RIVM, o vírus mutado está se espalhando por todo o país.

“Alguns sinais mostram isso”, disse Chantal Reusken, virologista-chefe do RIVM, falando com a emissora pública NOS.

Observando que a nova variante não é mais letal, mas se espalha muito rapidamente, o funcionário do RIVM disse que espera que a espécie mutante se torne dominante na Holanda, bem como na Inglaterra.

Frits Rosendaal, epidemiologista (epidemiologista) da Escola de Medicina da Universidade de Leiden, também defende a visão de que a variante do vírus emergente no Reino Unido se tornará dominante na Holanda.

A Agência de Saúde Pública está investigando como o vírus originado na Inglaterra se espalha na Holanda.

Duas pessoas com vírus na região de Amsterdã também não tinham nenhuma conexão com o Reino Unido.

Essas pessoas que contraíram o vírus mutado nunca viajaram para a Inglaterra.

De acordo com o RIVM, o fato de não estar vinculado ao Reino Unido e o novo caso ser detectado com aproximadamente 10 dias de intervalo é uma indicação de que o vírus agora está circulando amplamente na comunidade.

O mundo inteiro foi declarado zona de alto risco

A Autoridade de Saúde Pública pediu ao Serviço de Saúde Municipal Holandês (GGD) para investigar se as pessoas com o vírus estão diretamente ligadas ao Reino Unido.

O governo holandês decidiu que as medidas aplicadas a passageiros do Reino Unido e da África do Sul para prevenir a propagação do vírus serão aplicadas a todos os voos.

A partir de terça-feira, 29 de dezembro, todos os passageiros que retornam de áreas de risco de avião serão solicitados a apresentar um resultado negativo no teste, o mais tardar 72 horas atrás.

Passageiros de companhias aéreas que chegarem à Holanda sem fazer o teste não terão permissão para entrar no país. A Holanda declarou a todos uma “zona de alto risco”. Por esse motivo, o requisito de teste cobre todos os voos internacionais.

O governo está investigando se a exigência de teste negativo também pode ser aplicada a quem chega à Holanda por estrada, trem ou mar.

You May Also Like

About the Author: Edson Moreira

"Zombieaholic. Amadores de comida amadora. Estudioso de cerveja. Especialista em extremo twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *