Número recorde de eleitores para votar pelo correio nos EUA em 2020 | Jornal nacional

Nesta eleição, o voto pelo correio deve tornar a contagem ainda mais difícil.

O vídeo mostra uma caixa de correio americana, que você também pode chamar de urna eleitoral.

Milhões de americanos votam em cada eleição, como se estivessem enviando uma carta. 2020 não será diferente. Quer dizer, vai. Um número recorde de eleitores usará, ou melhor, já usa essas “urnas”.

Devido à pandemia, espera-se que até 70 milhões de americanos votem pelo correio. Número três vezes maior do que nas eleições de 2016 e que representará aproximadamente metade dos votos, lembrando que votar não é obrigatório nos Estados Unidos.

E em uma disputa que sempre fica para trás nas pesquisas, o presidente Donald Trump optou pelo voto pelo correio como motivo para não aceitar o resultado em caso de derrota.

E para entender o cenário em que o país pode estar imerso, é preciso entender como funciona o voto por correspondência, em três aspectos.

Primeiro, quem pode votar e como: todos os estados dos EUA permitem o voto pelo correio, mas todos os estados dos EUA podem ter suas próprias regras eleitorais. Nove estados enviam cédulas automaticamente para todos os eleitores. Em outros estados, você deve solicitar cédulas. E cinco deles pedem que você dê mais um motivo, além da pandemia, para votar pelo correio.

Na maioria dos casos, o processo é simples: o selo de devolução da cédula já está pago. Apenas envie.

Mas alguns estados complicam um pouco mais as coisas. Às vezes, muito mais.

Na Pensilvânia, você precisa de um envelope de segurança secreto, que vai dentro do envelope normal. No Alabama, você deve enviar uma cópia de sua identificação e duas testemunhas devem assinar sua cédula.

Segundo: os prazos. Cada estado, é claro, tem um diferente. Em alguns, a cédula deve ser enviada pelo correio duas semanas antes da eleição. Em Ohio, você pode solicitar a votação até dois dias antes da votação.

E finalmente a contagem. Nesse ponto, nem é preciso dizer que cada estado conta de maneira diferente. A Flórida começa 22 dias antes da eleição. Colorado, 15 dias antes. Arizona, 14 anos.

Mas seis estados não permitem que a contagem comece antes do dia da eleição. E, nesses locais, a contagem pode levar dias, até mais de uma semana.

Agora que você entende como funciona, vamos ao que interessa. Pelo menos 300 ações judiciais em todo o país já estão contestando um ou mais desses aspectos do voto pelo correio.

São processos dos dois partidos, tanto republicano quanto democrata, mas com objetivos diferentes.

As pesquisas mostram que mais democratas da oposição votarão pelo correio.

Em alguns lugares, a proporção é de três para um republicano.

O partido do presidente então tenta restringir o voto, o partido do oponente Joe Biden tenta fazer com que isso aconteça livremente.

Não há registro de tentativa de fraude significativa nas eleições dos EUA, nem qualquer indicação de que possa acontecer agora. Mas analistas políticos apontam para uma razão para as repetidas acusações de Trump.

Quanto mais democratas votarem pelo correio, é possível que, em alguns estados, no início da contagem de Trump, ele apareça na frente.

E que essa liderança desapareça nos dias seguintes, de acordo com os votos que chegam pelo correio e são contados. É o que eles chamam de miragem vermelha: a cor do Partido Republicano.

E é exatamente aí que muitos analistas colocam seus medos. Esse Trump usa a miragem para questionar os resultados do que promete ser a eleição mais tensa da história americana.

You May Also Like

About the Author: Edson Moreira Bezerra

"Zombieaholic. Amadores de comida amadora. Estudioso de cerveja. Especialista em extremo twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *