O “bad boy” do vôlei se despede: Sebastián Solé anunciou sua aposentadoria da Seleção Argentina

Sebastião Sola anunciou sua aposentadoria do Seleção argentina de vôlei. Ele o fez por meio de um comunicado em suas redes sociais, dias depois de ser divulgado que não faria parte da lista de convocados para as partidas anteriores ao mundo da disciplinaque será disputado de 26 de agosto a 11 de setembro na Itália e na Bulgária.

Consulte Mais informação: “Não digas a Montesano”: um jogador de voleibol não estará na Seleção e as redes explodiram

“Quero esclarecer que Esta decisão não tem nada a ver com a minha cidadania italiana.”, esclareceu o jogador que foi apelidado de “Nene Malo” pelo relator José Montesano e que foi uma das grandes figuras da seleção argentina que conquistou a medalha de bronze nas Olimpíadas de Tóquio 2020.

Depois que o técnico Marcelo Méndez deu a lista dos 23 convocados para a Liga das Nações (VNL) e o Mundial, começou a se espalhar a versão de que a ausência de Solé se devia à recente obtenção da nacionalidade italiana. No entanto, o jogador italiano de Perugia se encarregou de explicar o verdadeiro motivo: sua aposentadoria da seleção.

“Chegou a hora de dedicar tempo aos meus entes queridos, ao meu físico, ao meu futuro”, explicou o jogador de 30 anos de Rosário. E assegurou: “Vou continuar a acompanhar a equipa mas de outro lado”.

Rosario fez parte da equipe que conquistou a medalha de bronze nas Olimpíadas de Tóquio 2020 (REUTERS/Valentyn Ogirenko)

Solé, treinado no Centro Municipal de Rosario e no Rosario Sonder Club, está na seleção argentina desde 2009. Passou pelas categorias de base e depois deu o salto para o Major para disputar, entre outras importantes competições, as Olimpíadas Jogos. Jogos de 2012, 2016 e 2020. Além do terceiro lugar em Tóquio, conquistou duas medalhas nos Jogos Pan-Americanos (Bronze em 2011 e Ouro em 2015).

Carta de Sebastián Solé para anunciar sua aposentadoria da Seleção Argentina

Olá a todos, realmente não sei como fazer isso… É difícil descrever em palavras tudo o que vivi nesses 15 anos de seleção. Estou mais do que feliz e orgulhoso de tudo que dei pela albiceleste… Sempre dei o meu melhor, deixei mil coisas de lado para representá-la sem pedir nada em troca.

Como sabem, há 9 meses realizamos um sonho olímpico, e quando o jogo terminou, encontrei-me honesto, diante de uma câmera de televisão, onde não pude confirmar, mas expressei meus sentimentos em poucas palavras. … minha decisão já estava tomada.

Chegou a hora de dedicar tempo aos meus entes queridos, ao meu físico, ao meu futuro.

O bad boy já não é tão pequeno, os anos se passaram. Obrigado José Montesano por me dar este apelido e me fazer sentir eternamente jovem!! Continuarei acompanhando a seleção, mas de outro lado.

Consulte Mais informação: Argentina e um bronze histórico: a seleção de vôlei derrotou o Brasil e subiu ao pódio dos Jogos Olímpicos

Muito obrigado a todas as pessoas que nos apoiaram nestes longos anos de trabalho, a cada pessoa que fez parte da comissão técnica, aos jogadores que deixaram tudo para lutar por cada bola… e a vocês… TO AS PESSOAS!! quem estava no bem e no mal. Aqueles que se levantaram cedo para nos bancar em cada jogo, e aqueles que viajaram quilômetros para vir nos ver! Isso é paixão!! OBRIGADA!! Serei eternamente grata por tanto amor.

Como sempre aqui estou eu, apoiando e acompanhando cada pessoa que está dando tudo pela equipe. A minha vontade de ver a equipa crescer ao longo dos anos será sempre a mesma!

Quero esclarecer que esta decisão não tem nada a ver com minha cidadania italiana. Como muitos argentinos, tenho ancestrais italianos e desde pequeno consegui meu passaporte.

Minha camisa é e será a albiceleste!! – SEGURA ARGENTINA!

You May Also Like

About the Author: Ivete Machado

"Introvertido. Leitor. Pensador. Entusiasta do álcool. Nerd de cerveja que gosta de hipster. Organizador."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.