O banco lança um plano de títulos brasileiros de US $ 10 bilhões para impedir o desmatamento da Amazônia

LONDRES, 19 Dez (Reuters) – Estrategistas de um banco do Reino Unido lançaram a ideia de um grande título de 10 bilhões de dólares do governo brasileiro que seria projetado especificamente para ajudar a impedir a destruição da floresta amazônica.

Deter o desmatamento na Amazônia, que absorve grandes quantidades de gases de efeito estufa que aquecem o planeta, faz parte do plano abrangente do presidente eleito do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, para recuperar a liderança na ação contra a mudança climática.

Recentemente, ele pediu aos Estados Unidos, Grã-Bretanha, França, Suíça e Canadá que se juntassem a um fundo internacional de proteção da Amazônia estabelecido durante sua primeira administração de 2003 a 2010 e se comprometeu fortemente com o desmatamento zero até 2030.

Para ajudar a cumprir essa promessa, os estrategistas do NatWest propuseram o que seria o maior ‘título vinculado à sustentabilidade’ do mundo: um tipo especial de dívida do governo que teria uma promessa explícita de proteger a floresta tropical.

“Seria uma ótima maneira de Lula sinalizar sua intenção”, disse à Reuters o chefe de mercados emergentes e estratégia macro ESG da NatWest, Álvaro Vivanco. “A escala e a importância da Amazônia, todos podem se identificar com ela.”

Um título de US$ 10 bilhões seria um recorde para os mercados emergentes de dívida vinculada à sustentabilidade, um dos maiores títulos soberanos de mercados emergentes já vendidos e quatro vezes o tamanho de qualquer um dos títulos atuais do Brasil.

O dinheiro arrecadado por meio de dívida vinculada à sustentabilidade pode ser usado para praticamente qualquer finalidade. Então Lula teria uma enorme injeção de recursos para seus planos de conservação e outras peças-chave de sua agenda política.

Taxas de desmatamento da Amazônia

ESTRUTURA DE BÔNUS

É importante ressaltar que Vivanco prevê que o título terá uma estrutura usada pelo Uruguai neste ano, na qual os pagamentos anuais regulares de juros que os investidores recebem, conhecidos como cupons, diminuiriam se o governo superasse suas metas, mas também aumentariam como penalidade por não cumpri-las.

Pode ser definido para 100 pontos base por 1000 km2 acima ou abaixo do alvo, até um máximo de 200 bps em qualquer direção.

Por exemplo, se a linha de base fosse reduzir o desmatamento para 12.250 km2, mas a perda real fosse de 13.250 km2, o governo precisaria aumentar o pagamento do cupom do título de 2024 em 100 pb.

Porém, como incentivo para ir o mais longe possível, o pagamento do cupom seria reduzido em 100 pb se a perda fosse de 11.250 km2.

“Para referência, um título brasileiro de 2034 está rendendo atualmente cerca de 6,35%, tornando a função up/down potencialmente importante financeiramente para o Brasil”, dizia o esboço inicial do plano.Eu vivi na semana passada.

O vínculo pode ser estendido até 2035 e os números do desmatamento podem ser verificados usando imagens de satélite por terceiros, como as Nações Unidas.

A enorme escala de US$ 10 bilhões também não deve ser um grande obstáculo, com todos os tipos de investidores, desde grandes fundos de pensão e riqueza até bancos centrais globais, provavelmente ansiosos para mostrar que estão tentando enfrentar as mudanças climáticas.

“Se Lula sair pelo mundo vendendo esse título, você teria que ter um motivo para não fazer parte dele”, disse Vivanco.

Reportagem de Marc Jones; Editado por Anna Driver

Nossos padrões: Os Princípios de Confiança da Thomson Reuters.

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *