O Brasil pode encerrar uma espera de duas décadas pela glória na Copa do Mundo de 2022? | Notícias da Copa do Mundo

aparições na copa do mundo: vinte e um
Títulos: 5
melhor acabamento: Vencedores (1958, 1962, 1970, 1994, 2002)
recorde da copa do mundo: W73, P18, L18
maior vitória: 7-1 contra a Suécia (1950)
jogador chave: neymar
Acessórios: Sérvia (24 de novembro), Suíça (28 de novembro), Camarões (2 de dezembro)

A eliminação do Brasil nas quartas de final pela Bélgica na Rússia 2018 definirá a era de Adenor Leonardo Bacchi, ou o técnico do Brasil, também conhecido como Tite, e sua equipe conseguirão se recuperar no Qatar 2022?

Em Kazan, na Rússia, cemitério dos grandes, a equipe de Roberto Martínez eliminou os pentacampeões mundiais em uma partida maravilhosa das oitavas de final.

Martínez fez uma surpresa tática ao colocar Romelu Lukaku no lado direito do ataque.

O Brasil estremeceu. Sua resposta no segundo tempo foi em vão, mesmo que o resultado dependesse de pequenos detalhes, como o toque de dedos do goleiro belga Thibaut Courtois.

O afastamento abalou Tite e o manteve acordado à noite. No fundo, ele é um treinador conservador, mesmo depois de tirar um ano sabático em 2014 para mergulhar em diferentes escolas de treinamento do jogo.

Eles responderam a essa derrota reforçando o meio-campo para evitar que o Brasil voltasse a se expor. Mas a equipe não reacendeu sua antiga arrogância e espírito. Era como se Tite repetisse na cabeça o jogo da Bélgica e nem mesmo a vitória em casa na atrasada Copa América 2019 lhe trouxesse consolo.

O Brasil conquistou o 11º título continental, mas seu estilo de jogo árduo não impressionou.

Seleção campeã da Copa do Mundo no Brasil 1994 [Faras Ghani/Al Jazeera]

Nas eliminatórias da Copa do Mundo, o Brasil recuperou parte de seu encanto, indo invicto para o Catar, marcando 45 gols e sofrendo apenas cinco.

Por mais impressionante que tenha sido a campanha nas eliminatórias, Brasil e Tite sabem que sua importância será limitada quando os melhores jogarem na Copa do Mundo.

O Brasil saiu cedo das últimas quatro copas do mundo após derrotas para pesos pesados ​​europeus: França e Zinedine Zidane em 2006, Holanda e Arjen Robben em 2010, Toni Kroos e Alemanha em 2014 e Bélgica e Kevin De Bruyne em 2018.

Como a Seleção Canarinho do Brasil reagirá ao jogar contra a elite da Europa? A fase de grupos será um déjà vu para Tite.

Mais uma vez, o Brasil enfrentará Sérvia e Suíça, seleções que para eles não podem ser subestimadas, na fase de grupos. Quatro anos atrás, Tite estava obcecado em encontrar uma maneira de desmantelar as defesas europeias profundas e sua equipe lutou para dominar a fase de grupos.

Em 2022, o quadro é um pouco diferente. Com a introdução da Liga das Nações da UEFA, o Brasil quase nunca teve a oportunidade de enfrentar rivais europeus, que ainda representam o teste decisivo no jogo internacional.

Mesmo assim, os pentacampeões mundiais estarão mais confiantes do que nunca antes do Qatar 2022, porque não dependem mais apenas de Neymar, que está a três gols do recorde de gols de Pelé pelo Brasil.

A ascensão de uma nova geração de jogadores tirou o peso dos ombros da estrela-guia do Brasil. Nas últimas décadas, o jogador de 30 anos tem sido o centro de gravidade da Seleção Brasileira, muitas vezes assumindo toda a responsabilidade e também sob intenso escrutínio, mas em Vinicius Junior, Richarlison de Andrade ou Richarlison e Raphael Dias Belloli (Raphinha) Brasil tem uma nova safra de estrelas.

jogador de futebol brasileiro neymar
Os pentacampeões mundiais estarão mais confiantes do que nunca no torneio do Catar porque não dependem mais de Neymar [File: Amanda Perobelli/Reuters]

Da periferia do Rio de Janeiro ao Estádio Santiago Bernabéu, do Real Madrid, a história de Vinicius Junior é a quintessência da história brasileira da ira para a riqueza, mas, como ele arriscou cruzar o Atlântico ainda jovem, ele se consolidou como titular do Real Madrid onze e se tornar um pilar do Brasil, nutrindo um bom entendimento com Neymar.

O talento de ataque do Brasil vai além de Vinicius e deixa Tite com um grande problema antes do Brasil começar o torneio contra a Sérvia em 24 de novembro no Lusail Stadium… onde eles esperam voltar para a final.

Ao ser questionado em recente entrevista à mídia brasileira sobre jogar com cinco atacantes na final da Copa do Mundo, Tite disse: “Não sei, vai depender da análise do adversário e da integração desse time. O campo fala. Mas se você olhar os atletas, o Paquetá é competitivo, mas sabe defender. Richarlison compensa as infiltrações de Neymar, vindo de trás. Raphinha marca de forma marcante. eu vim [Vinicius] Está evoluindo”.

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *