O FBI acusa hackers chineses de atacarem a investigação secreta do 19 e promete evidências – 14/05/2020

O FBI acusa hackers chineses de atacarem a investigação secreta do 19 e promete evidências - 14/05/2020

Organizações que investigam métodos de combate secretos 19 estão sendo alvo de ataques cibernéticos por hackers ligados à China, informou o FBI em comunicado conjunto com o Departamento de Segurança Interna dos Estados Unidos (DHS).

As agências não forneceram evidências, mas disseram em um relatório divulgado quarta-feira (13) que instituições e empresas que investigam vacinas, tratamentos e testes contra o coronavírus devem fortalecer a segurança digital para proteger suas descobertas.

Os setores de assistência médica, farmacêutica e de pesquisa que trabalham com a resposta do COVID-19 devem estar cientes de que são os principais objetivos dessa atividade e tomar as medidas necessárias para proteger seus sistemas. Os esforços da China para alcançar esses setores representam uma ameaça significativa à resposta de nossa nação ao COVID-19.
FBI e DHS, em nota conjunta

Por meio do DHS, a declaração é assinada pela Agência de Segurança e Segurança Cibernética e Infraestrutura (CISA). Embora não mostrem evidências, os dois órgãos prometeram fornecer detalhes técnicos das ameaças nos próximos dias.

O FBI diz que já está investigando como esses ataques estão afetando as organizações no país. Além de “atores cibernéticos afiliados à República Popular da China”, a política federal dos EUA. EUA Segmente agentes “não tradicionais”. Além disso, afirma que seu desempenho põe em risco a segurança das curas encontradas.

Verificou-se que esses atores tentam ilicitamente identificar e obter dados valiosos sobre propriedade intelectual e saúde pública relacionados a vacinas, tratamentos e evidências de indivíduos envolvidos em pesquisas relacionadas à covid-19. O possível roubo dessas informações compromete a entrega de opções de tratamento seguras, eficazes e eficientes.

Segundo as autoridades, esses ataques cibernéticos ocorrem desde 3 de janeiro de 2020, mesmo antes da detecção do primeiro caso de coronavírus no país.

Não é a primeira vez que uma agência do governo dos EUA denuncia campanhas contra investigadores. Em 5 de maio, a CISA emitiu uma notificação conjunta com o National Cybersecurity Centre (NCSC) do Reino Unido. Sem notar a conexão com a China, as duas agências disseram ter detectado uma tentativa maciça de roubar senhas de pesquisadores e instituições de pesquisa.

Outro desses relatórios já havia sido feito em 8 de abril. Desta vez, a situação é diferente devido ao envolvimento do FBI. Enquanto a CISA monitora ameaças cibernéticas à infraestrutura física e digital do país, a política federal combate atividades de inteligência e espionagem estrangeiras contra os Estados Unidos.

A entrada do FBI na luta contra supostas ameaças chinesas às buscas secretas de 19 personifica as observações do presidente Donald Trump. Na segunda-feira (11), ele disse que “ele não está feliz com a China”, devido aos rumores de que o FBI e o DHS farão reclamações contra o país asiático.

No mesmo dia, o ministro das Relações Exteriores da China, Zhao Lijian, respondeu às acusações:

A China é uma forte defensora da segurança cibernética e vítima de ataques cibernéticos (…) Combatemos firmemente todos os tipos de ataques cibernéticos realizados por hackers. Somos líderes mundiais no tratamento da covid-19 e na pesquisa de vacinas. É imoral atacar a China com boatos e calúnias na ausência de evidências

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *