O furacão Sally atinge os Estados Unidos no Alabama depois de ganhar força e deixa meio milhão sem energia

FAIRHOPE – Após ser elevado à categoria 2, em uma escala de cinco, o furacão Sally atingiu o estado do Alabama, na costa sul dos Estados Unidos, na madrugada de quarta-feira, trazendo fortes chuvas e podendo causar inundações. histórico e potencialmente fatal, de acordo com meteorologistas.

Segundo o National Hurricane Center (NHC), Sally tocou no Alabama às 4h45 (6h45 de Brasília), com ventos de até 165 km / h, ameaçando não só o litoral do estado, mas também o Mississippi e Flórida. O furacão deve ganhar mais força nas próximas horas.

‘Colapso total’:Memórias de um fotógrafo que cobriu o furacão Katrina 15 anos atrás

Mais de 430.000 pessoas ficaram sem energia no Alabama e na Flórida esta manhã. Vídeos de residentes locais e da mídia mostraram ventos fortes, árvores derrubadas e casas danificadas pela tempestade. Algumas áreas da Costa do Golfo, incluindo, mas não se limitando aos estados de Alabama, Mississippi e Flórida, já sofreram inundações nas últimas 24 horas. O mesmo está previsto para acontecer em outros locais durante o dia.

O governador do Alabama, Kay Ivey, declarou estado de emergência na segunda-feira por causa do furacão.

“O furacão Sally não deve ser esquecido”, disse Ivey. – Veremos enchentes recordes que podem ultrapassar os níveis históricos. E com a maior quantidade de água, teremos mais riscos de perda de vidas e bens.

O presidente Donald Trump comparou Sally ao furacão Laura, que atingiu o Texas e a Louisiana, bem como o Caribe, há apenas algumas semanas.

– Este é menor, mas um pouco mais direto. Mas temos tudo sob controle – disse o presidente à Fox.

“Estamos em contato direto com líderes estaduais e locais para ajudar Alabama, Louisiana e Mississippi”, acrescentou ele no Twitter.

O governador do Mississippi, Tate Reeves, também declarou estado de emergência.

O governador da Louisiana, John Bel Edwards, cujo estado ainda não se recuperou do impacto do Furacão Laura, pediu aos residentes que se preparassem. “Seja inteligente e fique seguro”, postou ele no Twitter.

Oficiais do estado do sul pediram aos residentes de baixa altitude que procurassem abrigo, mas com a lentidão de Sally, algumas pessoas se arriscaram e testemunharam o poder da natureza.

Thomas Harms enfrentou o vento e a chuva na terça-feira para ver as ondas quebrarem no Fairhope Pier, no Alabama, e relembrou as tempestades passadas. Quando criança, ele ia com o avô assistir as tempestades e fez o mesmo na terça com o filho.

“Isso tira um pouco do medo e também ajuda a entender os perigos”, disse Harms.

Os danos de Sally devem variar de US $ 2 bilhões a US $ 3 bilhões, previu Chuck Watson, da Enki Research, que monitora tempestades tropicais e avalia o custo de seus danos. Essa estimativa pode ser aumentada se as chuvas mais fortes ocorrerem em terra, disse Watson.

Portos, escolas e negócios ao longo da costa foram fechados. Como a trajetória da tempestade mudou para o leste, os portos ao longo do rio Mississippi foram reabertos, com exceção das rotas para a Flórida.

You May Also Like

About the Author: Ivete Machado Castilho

"Introvertido. Leitor. Pensador. Entusiasta do álcool. Nerd de cerveja que gosta de hipster. Organizador."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *