O pólo norte da lua joviana Ganímedes é fotografado pela primeira vez pela sonda Juno

Tudo sobre

PANELA

Saiba tudo sobre a NASA

Ver mais

Enquanto explora de perto Júpiter, a espaçonave Juno de PANELA, fez um sobrevôo perto do pólo norte da lua Ganimedes, que é o maior satélite natural do Sistema Solar. Assim, a sonda capturou as primeiras imagens do pólo norte congelado de Ganímedes com o instrumento Jovian Infrared Auroral Mapper (JIRAM), que também realizou o primeiro mapeamento infravermelho da borda norte da lua.

Como a equipe da missão sabia que o topo de Ganímedes seria visível para a espaçonave durante o sobrevôo, eles a programaram para que JIRAM e outros instrumentos pudessem observar a superfície da lua. Portanto, quando a sonda Juno estava mais próxima, o JIRAM conseguiu coletar 300 imagens infravermelhas de sua superfície com uma resolução impressionante de 23 km por pixel.

Mapeamento por infravermelho do Pólo Norte de Ganímedes (Imagem: NASA / JPL-Caltech / SwRI / ASI / INAF / JIRAM)

Com sua crosta congelada, a lua Ganímedes contém pistas que serão essenciais para os pesquisadores entenderem como a evolução de 79 das luas de Júpiter. Além disso, Ganimedes também é a única lua no Sistema Solar que possui um intenso campo magnético. No entanto, como não possui atmosfera, a superfície dos pólos desta lua é constantemente atingida por partículas de plasma da magnetosfera gigante de Júpiter.

Esse processo tem alguns efeitos, conforme explicado por Alessandro Mura, co-pesquisador do Juno no Instituto Nacional de Astrofísica em Roma. Para ele, os dados obtidos com o JIRAM mostram que o gelo presente no pólo norte de Ganímedes sofreu alterações devido à precipitação no plasma. “Este é um fenômeno que estamos aprendendo pela primeira vez com Juno, porque conseguimos ver todo o Polo Norte”, diz ele.

No centro da imagem está o pólo norte de Ganímedes (Imagem: NASA / JPL-Caltech / SwRI / ASI / INAF / JIRAM)

Para Giuseppe Sindoni, gerente de programa do instrumento JIRAM da Agência Espacial Italiana, o potencial da sonda é claro: “esses dados mostram a grande ciência que Juno é capaz de fazer ao observar as luas de Júpiter”. Claro, ainda há muito a descobrir, mas as notícias encontradas por Juno agora serão de grande importância para futuras missões lá.

Fonte: PANELA

Gostou deste artigo?

Assine o seu e-mail na Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

You May Also Like

About the Author: Adriana Costa Esteves

"Estudioso incurável da TV. Solucionador profissional de problemas. Desbravador de bacon. Não foi possível digitar com luvas de boxe."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *