O SP requer o uso de skins em aplicativos como o Uber, mas ninguém sabe como isso funcionará. 30/04/2020

O SP requer o uso de skins em aplicativos como o Uber, mas ninguém sabe como isso funcionará. 30/04/2020

Em entrevista coletiva realizada na última quarta-feira (30), a Prefeitura e o Governo de São Paulo anunciaram que o uso de máscaras em algumas viagens pela cidade será obrigatório. Entre os modos em que a proteção é necessária, existem carros classificados por aplicativos, além de ônibus e táxis. No entanto, aparentemente ninguém sabe como isso vai funcionar.

A declaração das autoridades criou mais perguntas do que respostas. Afinal, como seria a supervisão de quem usa uma máscara? Que punições uma pessoa pode sofrer? Os motoristas ou usuários podem se recusar a fazer uma viagem se a outra pessoa não tiver o equipamento?

Bem, passamos várias dessas perguntas a qualquer pessoa realmente envolvida na história: as autoridades e as empresas de aplicativos. Mas, aparentemente, eles também não sabem ao certo como isso funcionará.

Em contato com Inclinação, o Governo do Estado declarou que as questões a esse respeito deveriam ser encaminhadas à Prefeitura. A Câmara Municipal não retornou as questões levantadas pela Inclinação durante toda a tarde desta quinta-feira (30). A Secretaria Municipal de Mobilidade e Transporte (SMT) da Câmara Municipal indicou que um regulamento será emitido “nos próximos dias”.

Há uma dúvida, por exemplo, se a regra é apenas educacional ou incorre em punição para indivíduos ou empresas. No caso dos ônibus, por exemplo, as autoridades mencionaram que multarão as empresas com R $ 3.300 por cada veículo em que uma pessoa sem máscara for apanhada. Não está claro se isso também se aplica a aplicativos.

Quando isso se aplica e quem deve usar uma máscara?

O regulamento da Câmara Municipal e do Governo entrará em vigor a partir da próxima segunda-feira (4). Eles durarão “enquanto durar a emergência e a calamidade pública derivada do Covid-19”.

No Diário Oficial do Estado de São Paulo, o regulamento menciona apenas “transporte público de passageiros sob a responsabilidade do Estado de São Paulo”. Os aplicativos não são mencionados.

O Diário Oficial da Prefeitura, de fato, menciona o uso obrigatório de máscaras por “motorista e passageiro de transporte individual de passageiros por táxi e motorista e passageiro de transporte individual por requerimento referido no Decreto nº 56.981, de 16 de maio 2016 “. Este último decreto regula serviços como Uber, 99 e Cabify na cidade.

O decreto também informa que “a Secretaria Municipal de Mobilidade e Transporte (SMT) regulamentará, por meio de uma portaria, os procedimentos para aplicar a obrigação estabelecida neste decreto, especialmente medidas de inspeção e imposição de sanções”. Inclinação Ele entrou em contato com a SMT, que disse que estava preparando um texto para os próximos dias.

O que você pode entender dos decretos é que tanto os motoristas quanto os passageiros do carro por aplicativo devem usar uma máscara facial ao usar o serviço. Mas deixa mais perguntas do que respostas, como:

  • Como funcionará a aplicação desta medida? O governo, o conselho da cidade ou os próprios aplicativos farão isso?
  • Os pedidos de passageiros e / ou motoristas que não cumprem o decreto, como empresas de ônibus, podem ser multados? Qual seria o valor dessa multa?
  • Usuários e drivers serão multados por não conformidade?
  • Será que vai funcionar como um guia por enquanto, ou haverá penalidades?

Essas respostas, de acordo com o Diário Oficial, seriam teoricamente fornecidas pela portaria do SMT. A questão de como o aplicativo funcionará não é clara, especialmente em tempos de pandemia com um número limitado de pessoas.

Aplicativos de bate-papo

Inclinação Ele também entrou em contato com as principais aplicações. O relatório fez uma série de perguntas abertas que confundiram as mentes dos usuários do serviço e também dos motoristas, como:

  • Você foi informado pelo Conselho da Cidade / Governo da decisão? Existe uma conversa com eles sobre isso?
  • Como você vai fazer isso em veículos? Ou a supervisão seria de responsabilidade do Conselho da Cidade?
  • Você começou a passar esse padrão para os clientes: passageiros e motoristas?
  • A medida, por enquanto, será apenas educacional ou será capaz de proibir passageiros / motoristas de violarem a política?
  • Os motoristas podem rejeitar passageiros sem máscara sem serem punidos? E como será a prova desse motivo?
  • Por outro lado, os usuários podem se recusar a entrar no carro dos motoristas sem uma máscara?
  • Você começou a distribuir skins de driver? Como tem sido a distribuição?

A maioria das perguntas foi ignorada nas respostas enviadas ao relatório, com respostas principalmente à última pergunta. Em geral, a sensação é de que eles também não sabem como isso funcionará.

Inclinação Ele descobriu, no entanto, que agora 99 motoristas podem se recusar a competir por usuários que não usam máscaras. Com essa justificativa, eles não sofreriam o castigo que normalmente sofrem por rejeitarem as raças. No entanto, não há como verificar se o motivo da rejeição da viagem é verdadeiro.

A Uber se limitou a dizer que “a empresa estabeleceu um fundo para reembolsar seus mais de 1 milhão de parceiros em todo o Brasil, incluindo máscaras, géis ou luvas de álcool” e que “a empresa agora está avaliando a melhor maneira de aplicar praticar as medidas de comunicação anunciadas. “

99, por outro lado, informou que “adquiriu e começa a entregar mais de 550.000 máscaras para motoristas associados em todo o país, incluindo São Paulo, na próxima semana”. A empresa também afirma que realiza a desinfecção de carros em dois pontos de São Paulo e que mais de 10.500 veículos já foram submetidos ao procedimento.

O Cabify também ofereceu apenas respostas às ações tomadas contra o coronavírus e afirmou que possui “um canal direto de comunicação com o governo” e que “está monitorando o cenário legislativo e cumprindo as disposições regulamentadas por lei”. A empresa diz que está fazendo “um grande esforço para fornecer aos motoristas equipamentos de proteção, como gel de álcool e uma barreira física para os passageiros”.

Além disso, a Cabify disse que fornecerá orientações aos motoristas sobre o uso de máscaras, mas que “como eles não têm uma relação de emprego com a plataforma, não é possível exigir / exigir o uso”.

You May Also Like

About the Author: Edson Moreira Bezerra

"Zombieaholic. Amadores de comida amadora. Estudioso de cerveja. Especialista em extremo twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *