Olímpico e namorado detidos por cinco horas por funcionários homofóbicos do aeroporto

O astro do vôlei olímpico Douglas Souza diz que ele e seu namorado foram detidos por várias horas em um incidente homofóbico com funcionários do aeroporto. (Getty / Toru Hanai / Instagram / @ douglasouza)

O astro do vôlei olímpico Douglas Souza revelou nas redes sociais que ele e seu namorado foram detidos por várias horas em um incidente homofóbico com funcionários do aeroporto.

Souza integra a seleção olímpica de vôlei masculino do Brasil e fez parte da seleção quando conquistou ouro nos Jogos Rio 2016. A estrela do voleibol assumiu publicamente como gay em 2020 e disse ele quer ser “lembrado como o primeiro homossexual a jogar vôlei de alto nível no Brasil”.

O jovem de 26 anos aproveitou seu grande Instagram nesta semana para compartilhar que ele e seu namorado, Gabriel, recentemente passaram por um incidente homofóbico enquanto viajavam pela Europa.

De acordo com QueertySouza contou aos fãs em suas histórias no Instagram que eles estavam atravessando a Holanda a caminho da Itália. Ele disse que a viagem foi “monótona” a ponto de eles terem que passar pela alfândega em Roma. Foi lá que um funcionário do aeroporto aparentemente se ofendeu com o fato de os homens terem um relacionamento, disse Souza.

“Não quero entrar em muitos detalhes porque não quero carregar essa energia, mas direi mais ou menos”, ele começou. “Basicamente era eu e meu namorado, pegamos um vôo de São Paulo para Amsterdã e lá tivemos que passar pelo controle de passaportes para ir a Roma”.

Souza disse que o trabalhador inicialmente foi “super descolado” quando explicou que era jogador profissional de vôlei “contratado por aquele time”. Mas as coisas pioraram quando o funcionário “perguntou quem era Gabriel”, e Souza respondeu que era namorado dela.

“Quando eu disse que ele era meu namorado, o rosto dele mudou e o tratamento também”, explicou Souza. Queerty relatado. “Ele perguntou o que o Gabriel ia fazer lá, mostrei-lhe o documento da união estável. Eu disse que ele viria comigo. “

Segundo Souza, o funcionário da alfândega ligou para outro funcionário do aeroporto e o casal foi levado para outro local. Souza disse que os funcionários do aeroporto “nos deixaram lá por cerca de cinco horas sem qualquer explicação”.

Depois de “cinco ou seis horas”, o jogador de vôlei disse que a equipe do aeroporto o chamou a uma “salinha” para perguntar o que “ele ia fazer lá”. Souza disse que permaneceu “normal” e “calmo”, embora tenha achado o encontro “estranho”.

“Eles pressionaram a tecla novamente sobre quem era Gabriel, e eu tentei explicar a eles que ele era meu namorado e que eles tinham muita dificuldade em entender”, disse Souza. “Tínhamos o documento de casamento de fato. Eles absolutamente não queriam deixar Gabriel passar. “

Souza disse que acabaram passando “15 horas no aeroporto” devido à “situação difícil”, de um médium brasileiro. UOL relatado. Ele acrescentou que não acha “isso normal”, mas mais tarde admitiu que incidentes homofóbicos ocorrem “em todo o mundo”.

“Foi muito constrangedor”, disse Souza. “É importante mostrar que esse tipo de situação existe.”

You May Also Like

About the Author: Ivete Machado

"Introvertido. Leitor. Pensador. Entusiasta do álcool. Nerd de cerveja que gosta de hipster. Organizador."

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *