OMS acusado de conspirar com a Itália para esconder relatório: ″ Poderia ter salvo vidas ″

A Organização Mundial da Saúde (OMS) está sendo acusada de conspirar com o Ministério da Saúde italiano para ocultar um relatório que revelou a má gestão do país no início da pandemia covid-19. O que está em jogo é a falta de atualização do plano de pandemia desde 2006. Ou seja, há 14 anos.

A notícia é avançada pelo British Guardian, como exclusivo. O documento que relata o antiquado plano de ataque a uma pandemia, assinado pelo cientista Francesco Zambon e 10 colegas europeus a pedido da OMS, foi financiado pelo governo do Kuwait e tinha como objetivo fornecer informações a países que ainda não haviam sido alcançados: “Escrevi desesperadamente a todos os altos funcionários, incluindo o CEO, alertando-os do perigo [de o relatório ser bloqueado]. Sua publicação teve o potencial de salvar vidas.

A Itália foi o primeiro país europeu afetado pela pandemia e, portanto, escolhido para servir como o estudo.. Eles chamaram Um desafio sem precedentes: a primeira resposta da Itália ao covid-19.

OU O documento foi postado no site da OMS em 13 de maio, antes de ser retirado no dia seguinte.

O relatório de 102 páginas observou que o plano pandêmico da Itália estava desatualizado, não atualizado desde 2006, levando à resposta inicial “improvisada, caótica e criativa” dos hospitais. A orientação formal sobre como agir foi disponibilizada tarde demais, segundo o relatório.

O documento teria sido retirado do site da OMS a pedido de Ranieri Guerra, vice-diretor geral da OMS e ex-diretor geral de saúde preventiva do Ministério da Saúde italiano entre 2014 e 2017, sendo, portanto, responsável pela atualização do plano de saúde. . pandemia de acordo com as diretrizes estabelecidas pela OMS e pelo Centro Europeu para Prevenção e Controle de Doenças (ECDC).

You May Also Like

About the Author: Edson Moreira

"Zombieaholic. Amadores de comida amadora. Estudioso de cerveja. Especialista em extremo twitter."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *